Comidas

Máquina de batata-frita estreia seção Menu Testa

Da redação da Menu

Testar novos utensílios de cozinha e indicar sua relevância para a cozinha dos gourmets é o objetivo desta nova seção do blog: Menu Testa. A ideia é fornecer informações seguras e a opinião da revista sobre os produtos que chegam ao mercado e que, acreditamos, atrai o interesse dos amantes da boa gastronomia. A seção será assinada por Luciana Mastrorosa, editora assistente da Menu, e uma cozinheira de mão cheia. É ela a responsável por editar as receitas publicadas na revista e “traduzir” a linguagem dos chefs para os nossos leitores. Agora, Luciana vai mostrar se os produtos funcionam na prática para quem gosta de cozinhar. No final de cada teste, ela indica os pontos altos e os fracos de cada novo utensílio. Sugestões de produtos podem ser enviados para o e-mail menu@revistamenu.com.br, com o tema Menu Testa.

Confira a seguir a avaliação da Actifry

Batata frita mais leve

Por Luciana Mastrorosa

A ActiFry, que promete fazer batatas-fritas douradas e crocantes usando pouquíssimo óleo, marca a estréia da seção Menu Testa. O desafio é interessante: as batatas precisam normalmente de bastante óleo quente para se transformarem nas fritas sequinhas que fazem par perfeito com hambúrgueres.

De acordo com a Arno, fabricante da máquina, é preciso apenas 1 colher medida de óleo (cerca de 1 colher de sopa) para fritar até 1 quilo de batatas! Animador, especialmente para os que adoram batatinhas fritas, mas querem evitar o excesso de gordura.

À primeira vista, a máquina é leve e fácil de operar. Optei por fazer 500 gramas de batatas e segui as orientações: cortei as batatas, previamente descascadas, em palitos (mas poderia ser outro formato também) e, em seguida, as lavei bem para eliminar o máximo possível de amido. Isso é necessário para as batatinhas não grudarem umas nas outras durante a “fritura”. Depois de lavadas, tive de secá-las bem com um pano, uma a uma, a parte que considerei mais chata e trabalhosa.

Após a operação limpeza, ficou fácil: coloquei as batatas na forma e despejei o óleo sobre elas – no meu caso, usei 1/2 colher medida de óleo de milho, o necessário para minha quantidade de batatinha. Fechei a tampa, acertei o tempo de cozimento para 30 minutos e deixei cozinhar. A espátula vai girando lentamente, enquanto as batatas são cozidas uniformemente com óleo e ar quente. A tecnologia, patenteada, permite que o ar quente circule e se distribua dentro da panela, cozinhando as batatas sem a necessidade de usar tanto óleo.

E funciona? Sim. Ao final do processo, as batatinhas ficaram douradas e ligeiramente crocantes, com sabor delicado, suave, sem gosto residual de gordura. Não precisei colocá-las no papel-absorvente para escorrer, como aconteceria com fritas comuns, porque realmente não havia gordura excedente. Ponto para a ActiFry! Depois de certo tempo, porém, os palitos foram perdendo a crocância, parecendo mais batatas assadas no forno. Mesmo assim, o resultado final foi agradável. Para quem é realmente fã de batata-frita, a ActiFry mostrou-se uma alternativa mais saudável, ao menos para as fritas do dia a dia. E a máquina ainda pode ser usada para o preparo de outros alimentos, como sobremesas, carnes, legumes e molhos.

PONTO FORTE: de fato, a máquina prepara batatas sequinhas e crocantes com uma porção mínima de óleo. Isso é excelente para quem ama batata-frita, mas precisa (ou quer) evitar gorduras.

PONTO FRACO: depois de um tempo, as batatas perdem a crocância e ficam um pouco moles, como batatas que foram assadas e esfriaram.

PREÇO: R$ 999,99

INFORMAÇÕES: www.arno.com.br/actifry