Bebida

Menu Testa máquina de café coado

Por Luciana Mastrorosa

Começar o dia com o cheiro de café fresco pela casa é sempre agradável. Por isso fiquei empolgada com a promessa da máquina de café coado Senseo, escolhida como o produto colocado à prova nesta segunda edição do Menu Testa.

A concepção da cafeteira, desenvolvida pela Philips em parceria com a Sara Lee, detentora da marca Pilão, é oferecer, em 30 segundos, um cafezinho coado, fresco, pronto para ser degustado. Para quem ama café de coador, a ideia é tentadora. Especialmente naqueles dias de muita pressa, quando a simples ideia de ferver a água, medir o pó, instalar o coador na cafeteira e esperar a bebida ficar pronta soa demorado demais.

A máquina funciona com sachês de café Pilão, disponíveis em três sabores – tradicional, verão e intenso, em versões para xícaras de 60 ml ou 120 ml. A ideia de usar um sachê agrada aos apressadinhos, pois diminui consideravelmente a bagunça na cozinha.

Para o teste, usei um sachê de Pilão tradicional para preparar uma dose de café. A primeira impressão da Senseo foi positiva: com design elegante, a máquina poderia ficar bem instalada tanto na cozinha quanto na sala de jantar, sem prejuízo para o visual do ambiente. Disponível em duas cores, a vermelha chamou mais a atenção, e a preta é indicada para os que preferem eletrodomésticos discretos.

Li rapidamente o manual de instruções e consegui operar a máquina sem grandes problemas. Seguindo as instruções, retirei as partes desmontáveis antes do primeiro uso, como o suporte para o sachê, lavando-as delicadamente em seguida, com água e esponja macia com gotas de detergente. Sequei as peças individualmente e montei novamente a máquina. Enchi o filtro até a capacidade máxima e procedi da maneira indicada no manual, operando uma limpeza interna na Senseo. Ela mesma avisa quando o processo terminou.

Preparei, então, minha primeira xícara e fiquei impressionada com a velocidade da máquina, que demora apenas 90 segundos para aquecer a água e ficar pronta para o uso. Coloquei o sachê de Pilão tradicional no local indicado e, em menos de 30 segundos, meu café coado já estava na xícara.

Notei que uma crema espessa e amarelada formou-se sobre o café, o que não aconteceria com um café coado tradicional. O aroma da bebida é agradável, mas lembrou um pouco os cafés preparados naquelas grandes máquinas automáticas, comuns em escritórios. Na boca, a confirmação do aroma: embora agradável, o sabor do café lembrou, e muito, um café comum de máquina, e não o coado tradicional preparado em casa. E notei que a bebida já estava um pouco fria, o que me motivou a preparar uma segunda xícara.

Mas, desta vez, segui uma dica do manual e esquentei a xícara antes, acionando a máquina, mas sem sachê, para que a água quente escorregasse para minha xícara, aquecendo-a. Em seguida, preparei uma nova dose, e minhas impressões anteriores se confirmaram: a máquina é veloz no preparo, mas a bebida poderia ser mais rica em sabor e aroma, oferecendo um café com mais personalidade.

PONTO FORTE: rapidez no preparo. Em menos de 30 segundos, uma xícara de café fresco está pronta para ser degustada, o que favorece os que têm pressa. O sistema de sachê é prático e evita bagunça na cozinha e o desperdício, já que as doses são preparadas individualmente.

PONTO FRACO: o sabor e o aroma da bebida lembram muito as características dos cafés preparados em máquinas automáticas comuns, de grande porte. Isso torna a bebida da Senseo muito impessoal para um café feito em casa. Além disso, apenas três opções de sabores podem se tornar maçantes com o tempo. Seria interessante que a Pilão oferecesse também outras opções mais gourmets para os cafés da Senseo, com diferentes blends.

PREÇO: R$ 299. Os sachês custam R$ 9,90 o pacote com 18 unidades (para a versão de 60 ml) ou 10 unidades (para 120 ml)

INFORMAÇÕES: www.senseo.com.br