Cultura

As tendências gastronômicas para 2012

Por Pedro Marques

Termina ano, começa ano e especialistas de todas as áreas começam a fazer suas apostas sobre o que deve ser importante e o que vai ficar fora de moda. Não é diferente na gastronomia: várias publicações e consultorias, especialmente as norte-americanas, organizaram suas listas com as tendências para 2012.

hawker center, em Cingapura, a praças de alimentação a céu aberto com especialidades locais

Algumas dessas tendências começam a aparecer nos restaurantes brasileiros, ainda que timidamente. Uma delas, batizada por lá de “fin to tail”, o que poderia ser traduzido em português para “de cabo a rabo”, diz que os chefs vãos valorizar todas as partes dos animais, incluindo aquelas consideradas menos nobres – mas não menos saborosas -, como línguas, fígados, bochechas e outras iguarias.
Outra onda que está em alta lá fora e deve chegar por aqui é a da comida coreana. Talvez demore um pouco para que ela seja tão apreciada no País como a culinária japonesa, mas com mais imigrantes sul-coreanos vindo para cá, é bem provável que pratos como o kimchi (conserva apimentada de acelga) o bulgogi (churrasco com carnes marinadas e legumes que é feito pelo próprio cliente em uma chapa asiática) e o bibimbap (prato que leva arroz, carnes, legumes e um ovo cru por cima).

asinha de frango em hawker center, de Cingapura

Para quem planeja suas viagens pensando na comida, o destino obrigatório este ano é Cingapura, no Sudeste Asiático (e tema de reportagem da edição 145 da Menu, publicada em dezembro de 2010). Pudera, a pequena cidade-estado é famosa por seus hawker centers, praças de alimentação a céu aberto que trazem dezenas de especialidades locais, como o laksa (noodle com frutos do mar e caldo de curry) e o satay (espetinhos marinados com molho de amendoim).
Nem todas as modinhas devem pegar por aqui, obviamente. A empolgação pelo “moonshine”, por exemplo, bebida destilada produzida artesanalmente se deve principalmente pelo sucesso do seriado Mad Men, que não é tão popular por aqui. O mesmo vale para a febre dos “food trucks”, trailers que são verdadeiros restaurantes sobre rodas e oferecem uma comida de rua refinada, e que já está em declínio lá fora.
E, é claro, nem sempre as previsões se confirmam, enquanto coisas que ninguém nem esperava caem no gosto do público. Ou seja, para ficar bem informado, continue lendo a Menu em 2012. 😉