Bebida

Os melhores vinhos da Argentina

Por Suzana Barelli

Vinhedo em Mendoza (Argentina) ao pé dos Andes

Doze especialistas internacionais, entre enólogos e críticos de vinho, e mais oito enólogos argentinos, formaram o júri que elegeu os 18 vencedores do Argentina Wines Awards. Em sua sexta edição, o concurso busca premiar os melhores brancos e tintos do país voltados para o mercado externo. O concurso, que contou com a avaliação às cegas (sem saber que vinho corresponde a qual amostra) de 733 vinhos, de 145 vinícolas, é organizado pela Wines of Argentina em parceria com a Corporación Vitivinícola Argentina (Coviar).

A entrega dos 18 troféus aconteceu na semana passada em Mendoza, a capital da província que produz mais de 85% dos vinhos finos do país. Além deles, 70 vinhos conquistaram a medalha de ouro no concurso. De acordo com o júri, os melhores vinhos foram:

1 – Doña Paula Estate Sauvignon Blanc 2011, da vinícola Doña Paula

2 – Ampakama Viognier 2011, da Bodegas & Viñedos Casa Montes

3 – Portillo Malbec 2011, da vinícola Salentein

4 – Viñalba Patagonia Malbec – Syrah 2010, da Domaine Vistalba

5 – Catena Appelations La Consulta Malbec 2010, da Catena Zapata Winery

6 – Salentein Single Vineyard Late Harvest 2010, da Salentein

7 – Tilimuqui Single Vineyard Fairtrade Organic Torrontés 2011, da La Riojana Cooperativa

8 – Alamos Torrontés 2011, da Alamos Winery

9 – Famiglia Bianchi Chardonnay 2011, da vinícola Família Bianchi

10 – Alta Vista Atemporal Blend 2009, da Bodega Alta Vista

11 – Fabre Montmayou Gran Reserva Malbec 2010, da domaine Vistalba

12 – Finca Las Palmas Cabernet Sauvignon 2008, da vinícola Trapiche

13 – Vineyard Selection Matias Riccitelli 2010, da vinícola Matias Riccitelli

14 – Don Nicanor Nieto Senetiner Bonarda 2010, da vinícola Nieto Senetiner

15 – Perdriel Centenario 2007, vinho da Bodega Norton

16 – Iscay Syrah 2010, da vinícola Trapiche

17 – Val De Flores 2006, da Bodega Rolland

18 – Decero Amano 2009, da Decero

Além da premiação, os jurados participaram de um seminário sobre a evolução da qualidade do vinho do país. Por muito tempo, principalmente até o final do século passado, a Argentina foi um grande consumidor de seus próprios vinhos. Elaborava brancos e tintos mais oxidados, pesados, que não agradavam o consumidor de outros países, mas faziam muito sucesso localmente. A realidade começou a mudar quando a crise econômica reduziu o consumo interno de brancos e tintos e os enólogos estrangeiros começaram a investir nos vinhedos do país. Hoje a Argentina elabora vinhos finos de perfil internacional e é um grande exportador. Aqui no Brasil, por exemplo, é o segundo país no ranking de vinhos importados – está atrás apenas do Chile.

A relação completa dos vinhos premiados está em http://www.winesofargentina.org/awa/