Bebida

Monte Meão 2009

divulgação

por Suzana Barelli

Desde 1999, quando seus primeiros vinhos foram lançados, a vinícola portuguesa Quinta do Vale Meão elabora três tintos, na região do Douro Superior, no Norte de Portugal. O pioneiro, que deu origem à vinícola é o Quinta Vale do Meão. Este tinto nasce de vinhas de touriga nacional, touriga franca, tinta barroca e tinta roriz, em porcentagens que variam conforme a safra. São uvas que, no passado, deram origem ao mítico Barca Velha, o primeiro vinho não fortificado desta região portuguesa.

O Meandro é o segundo vinho da quinta, elaborado com as mesmas uvas do Vale do Meão e, conforme o ano, também com porcentagens de sousão e tinto cão. E, como toda boa vinícola dourense, em anos especiais, a quinta também faz um vinho do Porto Vintage – até agora, já foram quatro safras.

A novidade é que Francisco de Olazabal, o Xito, como é mais conhecido o enólogo e herdeiro da vinícola, está elaborando um tinto apenas com touriga nacional, de um vinhedo específico, mais próximo ao rio Douro. Olazabal já vinificou o vinho, como experiência, por duas safras, e agora estuda lançá-lo no mercado, batizado de Monte Meão. E será o vinho da safra de 2009 (os vinhos da quinta já disponíveis no mercado são importados para o Brasil pela Mistral).

As uvas do Monte Meão (o nome ainda pode mudar) nascem de uma vinha plantada 16 anos atrás, em um terreno de solo granítico. Ao contrário da maioria das vinícolas do Douro, a Quinta do Vale Meão tem a maioria de suas castas plantadas separadamente e em solos de perfil geológico diferentes. Há vinhedos cultivados em terrenos de xisto, de granito e de aluvião. Atualmente, Olazabal e equipe tiram partido desta diversidade para elaborar vinhos mais complexos, mesclando o vinho. E numa destas vinificações, Olazabal decidiu apostar em um vinho de vinhedo único.

Provado recentemente em Portugal, o Monte Meão é um tinto ainda bem jovem, mas com as notas florais da touriga nacional, bem colocadas, mescladas com frutas vermelhas maduras. De boa complexidade, taninos bem colocados, é um tinto que combina (bem) com o portfólio da casa. Agora é esperar ele chegar no mercado.