Bebida

A Argentina, na taça

Ao todo, pouco mais de 650 vinhos são avaliados por 19 profissionais em quatro dias | crédito: divulgação

por Suzana Barelli, de Mendoza

Degustei hoje os meus 79 primeiros vinhos do Argentina Wine Awards (AWA 2014), concurso que visa avaliar e premiar os brancos e tintos do país do tango. Ao todo, pouco mais de 650 vinhos são avaliados por 19 profissionais em quatro dias. Organizado pela Wines of Argentina, em conjunto com as inglesas Jane Hunt e Tina Coady, o evento é uma referência para os vinhos do país desde sua primeira edição, em 2007, que contou apenas com jurados ingleses. Nesta sua oitava edição, o AWA reúne quatro jurados asiáticos, três da América do Norte, dois da Europa, um do Chile e dois brasileiros – aqui, estão presentes Jorge Lucki e eu.

A consistência do concurso decorre de seu sistema de degustação. Os jurados são divididos em grupos de três – sempre dois estrangeiros, em geral jornalistas, e um enólogo argentino. Cada um prova e pontua o vinho sozinho. No final de cada série – hoje, o meu grupo teve 11 baterias -, o trio discute suas notas e chega a um consenso de qual será a pontuação final do vinho e que medalha ele merece.  Todos os vinhos inscritos são provados por dois times. No final, se há alguma nota discrepante, os vinhos são degustados novamente, sempre às cegas (sem saber que vinho corresponde a cada amostra).

Neste ano, além das medalhas de bronze, prata e ouro, haverá três troféus, um para os vinhos do norte do país; outro para os da região de Mendoza e um último, para os vinhos da Patagonia. No último dia, há também o seminário Viños y Estilos Exitosos.