Comidas

Menu Testa: Slow Cooker Electrolux

Popular nos Estados Unidos, a slow cooker é lançada pela Electrolux (foto: divulgação)

por Pedro Marques

 

Bastante populares nos Estados Unidos, as panelas elétricas do tipo slow cooker são praticamente desconhecidas pelos brasileiros. Por isso, chamou a atenção o lançamento no Brasil do modelo SCC10, da Electrolux. Como o nome sugere, essa panela cozinha os alimentos devagar. Beeeem devagar. Alguns pratos podem levar até 12 horas para ficarem prontos. E é esse mesmo o objetivo. Em vez de ficar cuidando do fogão, o cozinheiro tem só que colocar os ingredientes na panela, programar o tempo de cozimento e pronto. Assim dá para começar a preparar o jantar antes de ir para o trabalho, por exemplo, e, na volta, a comida está pronta.

 

Nem todas as panelas oferecem os mesmos recursos – a maioria, porém, permite controlar a potência e os tempos de preparo. No caso da slow cooker, a operação é bem simples, graças ao painel eletrônico que fica na frente do aparelho. As opções são potência baixa, média e alta. Ao escolher uma das potências, o tempo de cozimento sugerido aparece no visor e é possível aumentar ou reduzir o tempo de preparo selecionando o botão “Cook time”. Depois é só selecionar o botão “Start/Cancel”, tampar a panela e deixá-la fazer o trabalho para você.

 

Uma sacada interessante dessa slow cooker é que ela muda automaticamente para a função “aquecer” depois que o cozimento termina. Assim, mesmo que você não esteja por perto quando a receita estiver pronta, a comida fica quentinha até você chegar. Outro recurso interessante é que os alimentos são cozidos em uma travessa de cerâmica que vai dentro da panela e pode ser destacada e levada diretamente à mesa.

 

Apesar de oferecerem a praticidade de cozinhar quase que sozinhas, é preciso tomar algumas precauções com essas panelas. A primeira delas é resistir à tentação de abrir a tampa para checar se os alimentos estão prontos. Ao remover a tampa, a temperatura da panela cai e é preciso aguardar mais 30 minutos até que ela aqueça novamente e volte a cozinhar na temperatura correta. Também é preciso prestar atenção no ponto de cozimento de peixes e frutos do mar. Como esses produtos cozinham mais rápido que carnes e legumes, vale a pena acrescentá-los somente na última hora do preparo.

 

Acertar o ponto dos alimentos de primeira, aliás, é o mais complicado. No teste feito pela Menu, preparamos ossobuco, corte que está longe de ser um dos mais macios (mas, com certeza, está entre os mais saborosos). Após cozinhar por 6 horas na potência máxima, a carne ainda estava dura. Mais 5 horas de cozimento e, aí sim, o ossobuco estava macio. Mas, ao contrário do que acontece quando se cozinha em uma panela de pressão, a carne não estava se desmanchando, uma textura diferente e gostosa. Nesse sentido, por sinal, a slow cooker é o oposto de uma panela de pressão: enquanto uma cozinha bem devagar, a outra acelera as preparações.

 

Por isso, enquanto não se pega o jeito dessa panela que é nova para a maioria dos brasileiros, vale a pena conferir o livro de receitas que acompanha o produto e seguir as instruções na hora de preparar pratos como moqueca de peixe, carne de panela, polenta e barreado. Embora o livro não tenha muitas receitas, é possível encontrar várias delas na internet, em inglês. E novos livros de receita podem surgir, caso esse tipo de panela caia no gosto do brasileiro.

 

 

Ficha Técnica

Slow Cooker Electrolux

Capacidade: 6,6 litros

Funções: aquecer, sopa, potências baixa, média e alta, ajuste de tempo

Voltagem: 110v ou 220v

Peso aproximado: 6 kg

Garantia: 12 meses

Preço: R$ 399