Comidas

Criatividade e técnica marcam o cardápio do restaurante Au Vin

(fotos: Felipe Gabriel/Ag. IstoÉ)

por Romeu e Julieta*

Quando Romeu e eu, Julieta, soubemos que a edição de aniversário da Menu homenagearia as promessas da gastronomia nacional, decidimos conhecer um restaurante que fosse pilotado por um jovem cozinheiro. Depois de consultar alguns amigos, chegamos ao nome de Patrick Bragato, chef do Au Vin. E, pelas referências, nossa refeição prometia ser interessante.

Se eu não estivesse com endereço em mãos, nunca encontraria o restaurante, que fica nos fundos de uma loja, na movimentada rua Diogo Jácome, no bairro da Vila Nova Conceição. Na verdade, o Au Vin é uma loja de vinhos, que recentemente passou a servir refeições aos clientes. Um pequeno gazebo ao ar livre, a cozinha envidraçada, confortáveis cadeiras e muitos vinhos pelas prateleiras compõem o ambiente despretensioso e acolhedor, com somente 22 lugares. “É uma boa alternativa para fugir do barulho da cidade”, avaliou Romeu.

Assim que chegamos, fomos atendidos pelo único garçom da casa, que logo “cantou” o cardápio do dia, com entrada, prato principal e sobremesa, por R$ 69,90. Sim, não há monotonia para quem sempre almoça ou janta por lá (e o preço é o mesmo nos dois períodos). “Tartar de boi Angus com beterraba, azedinha e molho de alcaparra” era a entrada anunciada, que deixou Romeu bem curioso. A carne, fresquíssima, casou perfeitamente com a beterraba em cubos, em equilíbrio com a acidez da azedinha (coberta por castanha-do-pará ralada) e o salgado da alcaparra. “Fiquei bem feliz com a combinação, não esperava”, contou meu parceiro. Mas a surpresa maior veio antes, com o amuse-bouche oferecido pessoalmente pelo chef: tomate momotaro com ricota defumada na madeira de eucalipto (!), pó de azeitona e emulsão de tomate, de uma leveza ímpar. “Esse defumado é totalmente inesperado e ficou incrível! É bastante ousado para um cardápio que muda diariamente”, disse meu empolgado Romeu.

No alto, o tartare de carne com beterraba, azedinha e molho de alcaparra; abaixo, da esq. para dir: terrine com pepino e cebola e meca com molho de caranguejo, servido com purê de batatas

Entre as três opções de proteína do prato principal, meu parceiro ficou com a meca ao molho de caranguejo, cenoura cozida, acompanhada de purê de batata com queijo “chamuscado”. “O peixe está bem firme, o molho enriqueceu o prato. E o purê é rústico, ficou ótimo”. A sobremesa do dia reiterou a criatividade do chef Bragato: arroz-doce com maçã em cubinhos, chutney de gengibre, caramelo e folhas de agrião. “É refrescante e leve, mas falta doçura para o padrão brasileiro”, ponderou Romeu.

Enquanto meu parceiro ficou com o cardápio “mutante”, eu optei pelos poucos pratos fixos do Au Vin. Há boas entradas, que servem como prato único para quem só quer beliscar na companhia de uma taça de vinho. A terrine de campagne (R$ 23,90), de sabor marcante e suculenta na medida, veio com pepino fresco, cebola caramelizada e picles de cebola – doçura, crocância, acidez, untuosidade em harmonia no prato. O cupim assado, apelidado de “comidinha da cave” (R$ 44,90), era macio, mas sem o peso da gordura, com molho reduzido do cozimento da carne, que embalou as cenouras cozidas, rúcula selvagem e purê de batatas (o mesmo do prato de Romeu). Teria parado minha refeição por aí, mas o chef fez questão de me mandar uma ganache de chocolate amargo, bem aveludada, escoltada por uma calda de maracujá batida com azeite, que não fazia parte do cardápio. E me arrependeria se tivesse dispensado a oferta.

MENU 201 - ROMEU E JULIETAO chef Patrick Bragato assina os saborosos pratos da casa

No Au Vin, não daria para fugir dos vinhos durante a refeição – a carta, com cerca de 150 rótulos, contempla diferentes partes do globo. Como nossos pedidos eram bem distintos, optamos pelas taças de branco e de tinto do dia, por R$ 23 cada: Livon Pinot Grigio 2014 (R$ 97 a garrafa na importadora) e Château Bellevue 2011 (R$ 96, na importadora), respectivamente.

MENU 201 - ROMEU E JULIETAO curioso arroz-doce com agrião, caramelo e morango (a fruta varia conforme o dia) 

“Sem dúvida, esse é um restaurante para ficarmos de olho: o preço é bacana pela qualidade oferecida, os pratos são bem pensados e me deixou curioso para provar as próximas criações do chef Bragato”, opinou Romeu. E eu assino embaixo.

MENU 201 - ROMEU E JULIETA

Au Vin
rua Diogo Jácome, 475 – Vila Nova Conceição (veja no mapa)
(11) 4561-2896 – São Paulo – SP
auvin.com.br

*Crítica publicada na edição 201 da Menu