Acontece

Osteria Francescana é o melhor restaurante do mundo

O restaurante de Massimo Bottura é o primeiro italiano a ocupar o topo da lista (foto: divulgação)

por Cintia Oliveira

Pela primeira vez, um restaurante italiano ocupa o topo da lista do The World’s 50 Best Restaurants. O ranking promovido pela revista inglesa Restaurant premiou a Osteria Francescana, comandada pelo chef Massimo Bottura em Modena, na Itália, como o melhor restaurante do mundo. Ovacionado pelos chefs presentes na cerimômia, que aconteceu nesta segunda (13) no restaurante Cipriani, em Nova York, Bottura falou sobre o trabalho árduo na cozinha. “Diferentemente do glamour que aparenta, a cozinha tem a ver com um trabalho árduo”, disse ele, visivelmente emocionado. Bottura, que virá ao Brasil em breve para inaugurar um restaurante popular na Lapa, projeto da ong Gastromotiva no Rio de Janeiro, ainda aproveitou a oportunidade para convidar os chefs da plateia para colaborarem com a iniciativa.

Desta vez, o restaurante El Celer de Can Roca, de Girona, na Espanha, deixou o topo conquistado no ano passado para ocupar a segunda posição, e Joan Roca ganhou o prêmio de melhor chef escolha dos chefs. Já restaurante Eleven Madison Park, em Nova York (EUA), subiu da quinta posição do ano passado para o terceiro lugar. O restaurante ainda conquistou o prêmio de hospitalidade. Já o restaurante Central, comandado pelo chef Virgilio Martinez em Lima, no Peru, manteve a quarta posição do ano passado e conquistou o prêmio de melhor restaurante da América do Sul. Já o Noma, em Copenhagen, na Dinamarca, que por diversas vezes ocupou o topo da lista, caiu duas posições em comparação ao ano passado, passou de terceiro para o quinto lugar.

Entre os destaques da cerimônia deste ano estão o prêmio recebido pela chef Dominique Crenn, de São Francisco (EUA), e uma das protagonistas da segunda temporada do seriado Chef’s Table (Netflix) como a melhor chef mulher do ano. Já o renomado chef Alain Passard, do Arpège, de Paris, recebeu homenagem pelo conjunto da obra. O chef patissier francês Pierre Hermè, venceu o prêmio de melhor confeiteiro do mundo. E o estreante na lista, o restaurante Den, comandado pelo chef Zaiyu Hasegawa, em Tóquio, foi laureado com o prêmio de restaurante promissor de 2016.

Outras surpresas da lista foi a escalada do restaurante peruano Maido, em Lima, que pulou da 31ª para 13ª posição. E a estreia do londrino The Clove Club na posição mais alta, em pleno 26º lugar da lista. Pelo visto, 2016 não foi o ano dos restaurantes brasileiros no 50 Best. Desta vez, o restaurante D.O.M., de São Paulo, comandado pelo chef Alex Atala caiu da nona para a 11ª posição. Já o restaurante paulistano Maní, dos chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo, deixou a lista dos 50 melhores do mundo (na 41ª posição) e ficou com a 51ª posição. Ao menos um chef brasileiro tem motivos para comemorar: o chef Rafa Costa e Silva, do Lasai, do Rio de Janeiro, que estreou na lista com a 64ª posição. Confira a lista completa de restaurantes:

1 º Osteria Francescana, de Modena – Itália

2 º El Celler de Can Roca, de Girona – Espanha

3 º Eleven Madison Park, de Nova York – EUA

4 º Central, de Lima – Peru

5 º Noma, em Copenhagen – Dinamarca

6 º Mirazur, em Menton – Espanha

7 º Mugaritz, de San Sebastian – Espanha

8 º Narisawa, em Tóquio – Japão

9 º Steirereck, em Viena – Áustria

10 º Asador Etxebarri, de Axpe – Espanha

11 º D.O.M., de São Paulo – Brasil

12 º Quintonil, da Cidade do México – México

13 º Maido, de Lima – Peru

14 º The Ledbury, em Londres – Inglaterra

15 º Alinea, de Chicago – EUA

16 º Azurmendi, de Larrabetzu – Espanha

17 º Piazza Duomo, em Alba – Itália

18 º White Rabbit, em Moscou – Rússia

19 º Arpège, em Paris – França

20 º Amber, em Hong Kong – China

21 º Arzak, de San Sebastian – na Espanha

22 º The Test Kitchen, em Cape Town – África do Sul

23 º Gaggan, em Bangkok, na Tailândia

24 º Le Bernardin, de Nova York

25 º Pujol, da Cidade do México

26 º The Clove Club, em Londres – Inglaterra

27 º Saison, em São Francisco – EUA

28 º Geranium, em Copenhagen – Dinamarca

29 º Tickets, em Barcelona – Espanha

30 º Astrid y Gastón, em Lima – Peru

31 º Nihonryori Ryugin, de Tóquio – Japão

32 º Restaurante André, em Cingapura

33 º Attica, em Meubourne – Austrália

34 º Tim Raue, em Berlim – Alemanha

35 º Vendôme, de Bergisch Gladbach – Alemanha

36 º Boragó, de Santiago – Chile

37 º Nahm, de Bangkok – Tailândia

38 º De Librije, de Zwolle – Holanda

39 º Le Calandre, de Rubano – Itália

40 º Relae, de Copenhagen – Dinamarca

41 º Favken, em Jarpen – Suécia

42 º Ultravioleta by Paul Pairet, em Xangai – China

43 º Biko, da Cidade do México – México

44 º Estela, de Nova York – EUA

45 º Dinner by Heston Blumenthal, de Londres – Inglaterra

46 º Combal Zero, de Rivoli – Itália

47 º Schloss Neuschwanstein, de Fürstenau – Suíça

48 º Blue Hill at Stone Barns, de Nova York – EUA

49 º Quique Dacosta, de Dénia – Espanha

50 º Septime, de Paris – França