Bebida

Os melhores vinhos brasileiros da Decanter

Os vinhos da linha Leopoldina, o chardonnay e o merlot, elaborados pela gaúcha Casa Valduga, e o Vale do Chá, um 100% shiraz da vinícola paulista Guaspari ganharam medalha de ouro em concurso promovido pela revista inglesa (foto: divulgação)

por Suzana Barelli

Desde 2004, a revista inglesa Decanter realiza seu concurso de vinhos, o Decanter World Wine Awards (DWWA), que está entre as mais relevantes avaliações de vinho do mundo. Na edição de 2016, pela primeira vez os vinhos brasileiros chegaram ao ouro. E foram três: dois da linha Leopoldina, o chardonnay e o merlot, elaborados pela gaúcha Casa Valduga, e o Vale do Chá, um 100% shiraz da vinícola paulista Guaspari. Os dois ouros da Casa Valduga, ainda, receberam ouro e foram promovidos à platina, porque os jurados o consideraram os melhores de sua categoria.

Paulo Brammer, sócio da escola Enocultura e um dos 240 degustadores do DWWA, apresentou na Expovinis, exposição de vinhos realizada em meados de junho em São Paulo, estes vinhos e mais outros 13 rótulos sul-americanos que conquistaram ouro no concurso. Nas regras da competição, isso significa obter 95 ou mais pontos dos jurados, em uma escala de até 100. Em sua 12a. edição apenas 3,4% dos 16 mil vinhos inscritos no DWWA obtiveram esta premiação. Nos países da América do Sul, a Argentina obteve 39 ouros, 27 deles elaborados com a emblemática uva malbec; o Chile teve 30 ouros e seis de seus vinhos foram eleitos os melhores em sua categoria. O Brasil conquistou três ouros, com 37 amostras inscritas. Uruguai e Bolívia conquistaram, cada um, uma medalha de ouro.

Na degustação, é interessante destacar como vinhos de perfil tão diversos podem obter a mesma pontuação. O Bramare Rebon Vineyard 2013, da Viña Cobbos (R$ 532, na Grand Cru), por exemplo, se destacava pela madeira e as notas de frutas vermelhas bem maduras e evidentes e o álcool mais, enquanto o Eggo Franco 2015, da Zorzal, apresentava notas de frutas vermelhas frescas e taninos mais “nervosos” (R$ 232, na Grand Cru). E como os vinhos do topo de gama da Catena conseguem aliar elegância e complexidade – na minha avaliação, o Nicasa Vineyard 2011, um corte de 95% de malbec com 5% de cabernet franc (cerca de R$ 560, na Mistral), foi o melhor deste painel. Nos brancos, o meu destaque foi o Errazuriz Chardonnay Aconcagua Costa, importando pela Vinci (cerca de R$ 180). É um branco que mostra todo o potencial da zona costeira chilena, com aromas de frutas frescas e um belo frescor.

Gostei dos três brasileiros premiados. São rótulos que indicam que há um caminho para o nosso vinho, que não passa por brancos e tintos mais potentes, mas para aqueles com um perfil mais gastronômico. Confira, a seguir, todos os rótulos brasileiros que obtiveram medalhas e menções honrosas no concurso da Decanter e quais os seus produtores, na relação enviada pelo Ibravin. O que chama a atenção é o ainda baixo número de amostras e de vinícolas inscritas neste concurso.

Vinhos premiados

MELHOR BRANCO BRASILEIRO DE MAIS DE £15

Casa Valduga Leopoldina Chardonnay 2015- Casa Valduga Vinhos Finos

MELHOR TINTO BRASILEIRO DE MAIS DE £15

Casa Valduga Terroir Leopoldina Merlot 2012- Casa Valduga Vinhos Finos

MEDALHA DE OURO

Guaspari Vista do Chá Syrah 2012 – Vinícola Guaspari

MEDALHA DE PRATA

Aurora Espumante Brut – Cooperativa Vinícola Aurora

Casa Perini Espumante Moscatel – Vinícola Perini

Casa Valduga Espumante 130 Brut – Casa Valduga Vinhos Finos

Salton Brazil Intenso Brut – Vinícola Salton

Salton Séries Brut Rosé – Vinícola Salton

MEDALHA DE BRONZE

Aurora Procedências Chardonnay Brut – Cooperativa Vinícola Aurora

Aurora Brazilian Soul Moscato – Cooperativa Vinícola Aurora

Aurora Reserva Merlot 2014 – Cooperativa Vinícola Aurora

Brazilian Soul Premium Selection Cabernet Sauvignon 2013 – Cooperativa Vinícola Aurora

Casa Valduga Raízes Gran Corte 2012 – Casa Valduga Vinhos Finos

Casa Valduga Raizes Terroir Cabernet Franc 2012 – Casa Valduga Vinhos Finos

Guaspari Sauvignon Blanc 2012 – Vinícola Guaspari

Ponto Nero Espumante Brut Rosé – Domno do Brasil

Ponto Nero Conceptual Edition Espumante Brut Rosé de Noir – Domno do Brasil

MENÇÃO HONROSA

Brazilian Soul Premium Selection Tannat 2013 – Cooperativa Vinícola Aurora

Casa Valduga Espumante Brut Rosé – Casa Valduga Vinhos Finos

Guaspari Sauvignon Blanc 2013 – Vinícola Guaspari

Ponto Nero Espumante Moscatel – Domno do Brasil

Salton Espumante Brut Reserva Ouro – Vinícola Salton

Salton Paradoxo Pinot Noir 2014 – Vinícola Salton

Salton Poética Espumante Brut Rosé – Vinícola Salton

Zanotto Espumante Brut – Vinícola Campestre