Cultura

Museu em Bordeaux é parada obrigatória para fãs de vinho

Salas com recursos interativos, imagens 3D, difusão de aromas e animações são algumas das atrações da La Cité du Vin (foto: reprodução)

por Clarice Goutorbe, de Bordeaux*

Capital e referência dos grandes vinhos, a cidade de Bordeaux, no sudoeste da França, ganha um enorme espaço destinado à cultura dos brancos e tintos. É a La Cité du Vin, ou cidade do vinho, em português, um prédio de arquitetura futurista, com formato que faz alusão ao movimento do vinho em uma taça ou em um decanter – segundos os arquitetos, não existe um símbolo específico para essa construção de 13.350 m2 de extensão e 55 m de altura, mas a referência à bebida de Baco é clara. “La Cité du Vin é um projeto universal dentro do coração de uma região e que quer ancorar Bordeaux como capital mundial do vinho”, afirma Bernard Farges, presidente do Conselho Interprofissional do Vinho de Bordeaux (CIVB). Não é à toa que o seu embaixador é o renomado crítico norte-americano Robert Parker.

Em seu interior, a nova cidade se propõe a tratar o vinho sob todos os seus ângulos e atingir um público que vai do jovem leigo e encantado com a bebida ao mais expert apreciador – a previsão é receber 450 mil visitantes por ano no prédio. “A cité vai tratar dos vinhos do mundo inteiro pelo lado cultural, pela arte, pela história, mostrar como o vinho foi percebido ao longo dos séculos. É um espaço de troca imersivo e lúdico, um lugar único com experiências múltiplas”, define Olivier Kollek, diretor marketing e comercial da Fundação pela Cultura e as Civilizações do Vinho.

MENU 207 MUNDO VINHO - ENOTURISMO

Em espaços interativos, 450 mil visitantes por ano conhecem mais sobre o vinho a partir de sua cultura, arte e história

A área de visitação permanente da cité, por exemplo, é formada por cerca de 20 módulos. São salas com recursos interativos, imagens 3D, difusão de aromas e animações, como a viagem a bordo de um navio que mostra a aventura dos mercadores de vinho. Um audioguia permite ao visitante registrar os melhores momentos do passeio (pena que o audioguia esteja disponível em oito idiomas, mas não em português). Há também exposições temporárias: a primeira é formada por 80 fotos de Isabelle Rozenbaum, a fotógrafa que acompanhou todas as etapas dessa obra, que demorou três anos.

MENU 207 MUNDO VINHO - ENOTURISMO

A visita pode terminar (ou começar, já que não existe um percurso obrigatório) em um mirante, a 35 m de altura, com vista privilegiada ao cais de Bordeaux, na área chamada de Belvedere. Para admirar a vista de 360 graus, o convite é degustar uma taça de vinho (a dose de 50 ml está incluída no valor da entrada) – no local, haverá uma seleção de 20 vinhos diferentes, não só bordaleses, mas de outras regiões produtoras. A cité conta, ainda, com um bar de vinhos, claro, e com o restaurante Le 7, que também tem vista panorâmica. Sob o comando do chef Nicolas Lascombes, o cardápio une as especialidades francesas com as receitas internacionais, em pratos que harmonizam com vinhos de mais de 50 regiões produtoras, presentes na carta.

O projeto, antes batizado de Cité des Civilisations du Vin e que teve o nome encurtado por razões de marketing, não se restringe ao passeio pelo prédio. A cité se propõe a ser um propulsor do enoturismo. Cruzeiros fluviais diários partirão de lá em direção aos vinhedos bordaleses. Atualmente, um cruzeiro de uma semana, por exemplo, varia entre 800 e 3.000 euros, em média. Há também a possibilidade de descobrir os vinhedos em excursões terrestres, de bicicleta ou mesmo em soirées em châteaux da região. A estimativa de Kollek é que a abertura da cité possa significar uma alta de 20% no número de visitantes nos châteaux a cada ano. “Devemos dar vontade aos visitantes da cité de visitar os vinhedos”, afirma. E, por que não, aumentar o consumo dos vinhos locais – atualmente, a cada segundo, são vendidas 22 garrafas de vinho de Bordeaux em todo o mundo.

Com arquitetura futurista, o projeto é uma alusão ao movimento do vinho na taça ou no decanter

La Cité du Vin

A cidade inaugurada em junho funciona das 9h30 às 17 horas. O ingresso, que inclui entrada, visita às exposições permanentes e degustação de uma taça de vinho de 50 ml, custa 20 euros. Workshops são cobrados à parte. Com duração de 1h30, o “Tous les goûts sont permis” (“todos os gostos são permitidos”, em tradução literal) ensina sobre as sutilezas da degustação, para crianças e adultos, por 17 euros, em provas com bebidas não alcóolicas. O “Bordeaux”, com duração de 1 hora e ingresso a 15 euros, traz a história e a identidade dos vinhos da região.

 

La Cité du Vin

Quai de Bacalan, 134, esplanade de Pontac (veja no mapa)

00xx33 (0)5 56 81 38 47 – Bordeaux

 laciteduvin.com

* Reportagem publicada na edição 207