Cultura

Alexandre Herchcovitch é um entusiasta de forno e fogão

“Gosto de tudo que seja bem-feito, tanto faz se é um prato simples ou sofisticado”, diz Alexandre Herchcovitch (foto: divulgação)

por Cintia Oliveira*

Agulhas, linhas, tecidos, laços e caveiras. Esses são alguns dos elementos que compõem o universo do estilista Alexandre Herchcovitch. No ar com o reality Corre e Costura (exibido pelo SBT e pelo canal pago Fox Life), no qual produz roupas sob medida para um desconhecido, o estilista também se dedica à grife da marca vintage À La Garçonne, de seu marido, Fábio Souza.

Paralelamente ao mundo da moda, Herchcovitch também é um entusiasta do forno e do fogão. Não à toa, sua conta no Instagram (@alexandreherchcovitch) é recheada de fotos de comida – sejam preparadas por ele ou saboreadas em suas inúmeras viagens pelo mundo. A seguir, ele conta sobre os seus gostos à mesa e suas habilidades na cozinha.

Com quem aprendeu a cozinhar?

Em casa, sempre fazíamos as refeições juntos, falando de nosso dia a dia. Aprendi a cozinhar observando minha mãe e avó na cozinha, preparando comida deliciosa e caseira. E também aprendi muito assistindo programas de culinária na tevê.

Quais são as suas especialidades na cozinha?

Faço de tudo um pouco. Em casa, seguimos (ele e o marido) uma dieta que inclui muitas frutas e vegetais orgânicos até onde é possível, mas não como carne vermelha e aves há mais de dez anos. E raramente como peixe. Meus filhos comem de tudo, exceto doces e refrigerantes.

Quais os seus pratos favoritos?

Gosto de tudo que seja bem-feito, tanto faz se é um prato simples ou sofisticado. E adoro doces. Como todos os dias.

Você costuma viajar com frequência em busca de referências para o seu trabalho. Quais foram as suas refeições inesquecíveis pelo mundo?

A cozinha simples e impecável do restaurante Vila Naiá, em Corumbau, na Bahia. E os restaurantes à beira do Lago Como, na Itália, que servem peixes e frutos do mar, foram algumas experiências inesquecíveis.

É possível traçar um paralelo entre o trabalho com moda e a relação com a cozinha?

Criatividade e ousadia com preparo clássico fazem toda a diferença.

* Entrevista publicada na edição 210