Bebida

Campanha de financiamento é lançada em prol de Eduardo Zenker

Cartaz da feira Naturebas 2017, que tem o tema "Por mais vinhos livres", em homenagem aos vinhateiros que ficam de mãos atadas frente às dificuldades de produzir vinho puro e artesanal no país (foto: divulgação/ Katiuska Sales)

por Suzana Barelli

A campanha de arrecadação de recursos para ajudar o vinhateiro gaúcho Eduardo Zenker, da Arte na Vinha, já entrou no ar, batizada de #artesanalélegal. Hospedada no site Catarse, a meta é chegar a R$ 102 mil, recurso para que o produtor sobreviva enquanto seus vinhos estiverem confiscados pelo Ministério da Agricultura.

A ideia do projeto é ajudar Zenker e outros produtos artesanais brasileiros que não conseguem legalizar o seu trabalho – a legislação brasileira não contempla produtores no perfil de Zenker, que não consegue ser enquadrado como produtor colonial.

Atualmente, ele é fiel depositário de seus vinhos, que foram interditados após denúncia no Ministério da Agricultura em um processo que pode demorar meses ou até anos para ser resolvido. Os vinhos continuam na garagem do produtor, em Garibaldi (RS), mas ele não pode comercializá-lo ou bebê-los. “O processo para a legalização é longo e caro”, defende-se Zenker, que apostava na entrada em vigor do novo Simples, previsto para valer a partir de 2018, para os pequenos produtores para conseguir entrar na legalidade.

A campanha colaborativa funciona com doações de cotas. Caso os vinhos sejam liberados, ele será enviado ao doador. Mas caso os vinhos continuem interditados, o valor arrecadado será uma doação para ajudar a financiar o recomeço de Zenker. A doação mínima é de R$ 10. O e-mail apoio@vinholivre.com.br foi criado para quem quiser maiores informações sobre o projeto. O endereço completo do projeto é catarse.me/artesanal_e_legal_16ce/