Coluna

Vermute reconquista espaço na coquetelaria

O aperitivo é o queridinho de 2017 (foto: divulgação)

por Néli Pereira*

Esqueça o vermute “apenas” como um importante ingrediente de coquetéis clássicos, como negroni e martíni. A bebida, feita a partir de vinho branco, caramelo (responsável tanto pela doçura como pela cor), absinto, ervas e especiarias, é um aperitivo que vem reconquistando espaço e deve ser um queridinho deste 2017.

O vermute historicamente já aparece em formas variadas desde o século 16, conhecido por suas características medicinais. Sim, acreditava-se que este vinho fortificado e aromatizado poderia “fazer bem” para a digestão, por isso se tornou um clássico aperitivo – uma espécie de “garrafada” importada.

É assim que a bebida vem conquistando mais uma vez países como a Espanha, onde o vermú é servido diretamente do barril ou até em torneiras em bares moderninhos. Por lá, o lance é beber o vermute puro com gelo ou um pouco de água gaseificada, uma rodela de laranja e pronto! A febre é tão grande que os bares começaram a criar receitas próprias e muitos espanhóis vão a um determinado lugar por causa do vermute produzido lá. Uma tendência que logo deve pegar por aqui…

À moda da (sua) casa 

Sim, é possível criar sua própria receita de vermute. Quer tentar? Pegue uma xícara de brandy, coloque cascas de laranja e reserve. Depois, aqueça meia garrafa de vinho branco (375 ml) e comece a infusão: um dos ingredientes necessários é a artemísia, mas você pode substituir por outras ervas, cascas e raízes para garantir o amargor. Para temperar, use especiarias como canela, baunilha, cardamomo, e também ervas – tomilho e orégano são bem usados, mas seja criativo! Depois, junte a mistura que foi ao fogo com os 375 ml de vinho branco que sobrou, adicione o caramelo para dar doçura e cor (há quem use corante) e inclua o brandy. Se quiser fazer um vermute seco, é só não colocar o açúcar. Pronto! Guarde na geladeira, sempre. E beba puro, com gelo e água com gás para esses dias quentes de verão.

 

Ao longo dos anos 

Produzir o próprio vermute é um dos desafios propostos por Adam Ford, autor do livro Vermouth: The Revival of the Spirit that Created America’s Cocktail Culture – ele mesmo um produtor da bebida. O livro mostra a trajetória do vermute até a disseminação pelos Estados Unidos e como foi apropriado por diferentes culturas. Aproveite as receitas de coquetéis e as boas ideias para se fazer um vermute caseiro.

 

* Texto publicado na coluna A coqueteleira, da edição 2014