Cultura

O ator Ricardo Pereira é sócio de restaurantes em Portugal

"Quando estou em um país, eu mergulho na sua cultura e vejo o que é melhor para cozinhar e comer", diz o ator português (foto: divulgação/ Rodrigo Lopes)

por Beatriz Marques*

De tanto tempo que está no Brasil, o ator Ricardo Pereira até perdeu um pouco de seu sotaque português. Já são 14 anos de trabalho por aqui, principalmente em novelas da rede Globo, como Liberdade, Liberdade, em 2016, quando fez a primeira cena de sexo homossexual na televisão brasileira, e agora está interpretando o vilão Virgílio na novela Deus Salve o Rei. Mas quando se trata de comida, suas raízes estão bem fincadas em Portugal, mais exatamente em Lisboa, onde é sócio de quatro restaurantes, uma lanchonete e uma casa de eventos, como ele conta a seguir.

Você vê muita diferença na comida lusitana daqui? Há algo de que sente saudade?
O peixe é muito diferente. Em Portugal, é de água fria, tem gosto de mar e a textura não é tão emborrachada. Por outro lado, a carne do Brasil é maravilhosa. Mas não sinto tanta falta, pois quando estou em um país, eu mergulho na sua cultura e vejo o que é melhor para cozinhar e comer.

Cozinhar faz parte da sua rotina?
Minha mulher (a portuguesa Francisca Pereira) tomou as rédeas da cozinha, colocou em prática uma alimentação saudável, com orgânicos. Mas sou também sócio de restaurantes em Lisboa: Duplex, de comida contemporânea; Ministerium Cantina, de comida rápida; a pizzaria La Puttana; a Marisqueira Azul; a lanchonete Hot Dog Lovers; e a Ministerium Club, casa de eventos.

Quais são seus restaurantes favoritos no Rio?
Gosto muito do Antiquarius, me leva muito a Portugal, assim como a Gruta de Santo Antônio, em Niterói. Também frequento o Brazeiro, Malta Beef Club, Chez L’Ami Martin, Gurumê, Laguiole, Giuseppe Grill… gosto de variar e experimentar pratos diferentes.

É um apreciador de vinho português?
Sou apaixonado e tento aprender muito. Vinho é saúde e alegria. Sou amigo da família José Maria da Fonseca – já tomei um Periquita 1967 na adega da família. O Preta (da vinícola Fitapreta) é um vinho excepcional. Também gosto dos vinhos da Sogrape, Barca Velha, Casa Ferreirinha, Quinta da Pacheca, Real Companhia Velha…gosto de vinhos velhos, que precisam respirar e evoluir.

E qual é seu prato português favorito?
O cozido à portuguesa: é relativamente simples de fazer, com carnes de todos os tipos, mas o segredo é escolher bem os ingredientes.

* Entrevista publicada na edição 226 (abril/ 2018)