Bebida

Pão de Açúcar aposta (mais) forte nos vinhos

Carlos Cabral, na adega de vinhos do novo projeto do Pão de Açúcar (Foto: Suzana Barelli)

Por Suzana Barelli

A Total Wine, loja norte-americana que comercializa mais de 8 mil vinhos diferentes, nos mais diversos preços, parece ser a inspiração da nova Adega Pão de Açúcar. Inaugurada nesta semana na rua Augusta, em São Paulo, a primeira unidade da rede de supermercados focada apenas em bebidas alcóolicas traz 2.500 rótulos diferentes, além de destilados e cervejas especiais, assim como a gigante norte-americana, conhecida como o shopping center dos vinhos. “É a Disneylandia de adultos”, afirma o consultor de vinhos Carlos Cabral.

E Cabral não está brincando. Há vinhos para vários gostos e bolsos. Começa nos R$ 20 e pouco, dos rótulos em promoção, até tintos renomados, como o Barca Velha 2008, o cultuado tinto do Douro português, por R$ 4.499,90. Logo na entrada, os vinhos são separados por países, a começar pelo Brasil, com rótulos de grandes vinícolas nacionais, como Miolo, Salton e Aurora. Depois vem Argentina, Chile e os demais países produtores. Há também acessórios a venda, de vacun-vin, espécie de tampa que permite guardar a garrafa depois de aberta, até taças da cobiçada marca austríaca Riedel.

A joia da coroa é a adega climatizada, mais para dentro da loja, onde estão os rótulos premium selecionados por Cabral. A exceção dos grandes vinhos de Bordeaux, que o Pão de Açúcar optou por não trabalhar, há vedetes como amarones e barolos italianos; brancos e tintos de produtores nobres da Borgonha, Portugal, Chile etc. São rótulos que não têm espaço em um supermercado, mas que têm os seus consumidores. Na Adega Pão de Açúcar, contam com vendedores especializados para atendê-los. São quatro atendentes treinados e mais seis auxiliares.

Todos os vinhos da loja estão disponíveis no site próprio. O projeto é pioneiro e a ideia do Pão de Açúcar é expandir neste modelo de lojas físicas para novos pontos de São Paulo. Mostra, assim, a sua força nos vinhos – o Pão de Açúcar já é o maior importador individual de vinhos do Brasil. Neste ano, o grupo deve fechar o ano com a comercialização de 21 milhões de garrafas de vinho, 40% delas de marcas próprias e importação direta da rede de varejo. Em 2017, foram 18,3 milhões de garrafas. Neste crescimento, Cabral também comemora que o preço médio das garrafas vendidas subiu, indicando que o consumidor está procurando vinhos de maior qualidade. O tíquete médio de R$ 23, por garrafa de vinho em 2017, deve passar para R$ 28 neste ano.