Revistas

Do libanês ao italiano

Por Daniela Filomeno

Londres promoveu uma verdadeira transformação gastronômica nos últimos anos e deixou a (má) fama para trás. A capital inglesa está fervilhante, com filiais de restaurantes badalados e casas autorais. A lista vai de italianos, bem fiéis à origem, a libaneses, cozinha que está na moda na cidade.

Não deixe de ir ao Ishbilia (ishbilia.com), perto da loja de departamentos Harrod’s, que se orgulha de servir a autêntica cozinha libanesa e com ótimo custo-benefício. Do homus (£ 7.75) à maravilhosa kafta (£ 18), tudo é impecável. E em generosas porções para dividir.

Já o italiano Lucio (luciorestaurant.com), em Chelsea, de ambiente refinado e atendimento atencioso, feito pelo próprio Lucio e seu filho. Entre as pedidas estão o matricciana, com bochecha de porco, pimenta chili, queijo pecorino (£ 15,50) e o tradicional tiramisù de sobremesa (£ 16.50).

“Combo” da diversão

Na capital inglesa pipocam várias casas que se dividem entre bar, restaurante e baladinha. Umas delas é o imperdível e divertido Park Chinois (parkchinois.com). No térreo, há um elegante restaurante, decorado com inspiração na chinoiserie (interpretação da França para móveis chineses). Já no Club Chinois, no subsolo, come-se em meio a dançarinos e performistas. Comece pelo delicioso drinque Rouge Intime (vodca com ruibarbo, licor de toranja, suco de maçã e gengibre, £ 15). Depois fique com os dumplings de king crab (£ 9.50) e o pato inteiro laqueado (£ 95). Ainda vale o bacalhau fresco com toranja, capim-cidreira e molho apimentado (£ 49).

Em frente à Berkeley Square, é difícil ignorar a movimentação de gente bonita e música alta no Sexy Fish (sexyfish.com), o restaurante do momento de Londres, que custou £ 15 milhões e tem obras de arte de Damien Hirst e Frank Gehry. O menu de inspiração asiática traz ótimas sugestões, como o carpaccio de polvo (£ 12.80) com coentro e molho de yuzu. Dica para quem não quiser gastar muito: o menu executivo de almoço custa £ 36 (três pratos).

Só para ingleses?

Apesar de ser fechado para sócios e convidados, vale tentar com o concierge de seu hotel a entrada no The Arts Club (theartsclub.co.uk), que possui um restaurante considerado um dos melhores de Londres. Entre os pratos memoráveis, o bacalhau fresco marinado no mel de Acácia (£ 42) é de comer rezando. O clube, fundado em 1863, ainda abriga um restaurante de sushi, um bar (com animado happy hour) e balada no subsolo.