Bebida

Bettina Bürklin e seus rieslings biodinâmicos

Bettina Bürklin e seus rieslings biodinâmicos (Foto: Divulgação)

por Suzana Barelli

Quando herdou a vinícola familiar em 1990, a enóloga Bettina Bürklin-von Guradze, não imaginava que um dia transformaria a tradicional propriedade, que está em sua família desde 1597, em uma referência em rieslings biodinâmicos. Mas foi exatamente isso que aconteceu a partir do ano 2001 quando ela e seu marido, Christian Von Guradze, decidiram começar a reconverter para a biodinâmica os 85 hectares da Dr. Bürklin-Wolf Estate, em Wachenheim, na região de Pfalz, na Alemanha.

Bettina conheceu a biodinâmica pelo livro do francês Nicolás Joly, produtor pioneiro em seguir a biodinâmica nos vinhedos e autor de “Vinho do céu à terra” (como foi batizada a tradução para o português). A certificação veio em 2008. Bettina conta que o caminho para esta filosofia, que só utiliza compostos orgânicos no tratamento dos vinhedos e segue as influencias cósmicas, é elaborar vinhos com muita qualidade em harmonia com a natureza. Ela acredita que desta forma consegue valorizar o terroir e preservar, não apenas os vinhedos, mas a natureza ao seu redor para as futuras gerações. É um feito e tanto para este que é um dos maiores vinhedos familiares da Alemanha.

Antes da biodinâmica, Bettina já havia ousado ao decidir classificar os seus vinhedos a partir das microrregiões onde estão plantados cada um deles, seguindo, assim, o mesmo método de classificação da Borgonha. No Brasil, seus brancos, elaborados com a variedade riesling, são importados pela Vindame.