Bebida

Café em casa

Por Cristiana Couto

Moka

Além de prática, a cafeteira italiana tem um design bonito para ir à mesa. Para os que gostam de um café mais potente, é o método ideal. Seus vários tamanhos (1 a 18 xícaras) se ajustam bem ao número de convidados. O método consiste em ferver a água no compartimento inferior do equipamento e colocar o pó de café na porção superior. A água, pressurizada pelo vapor, atravessa o filtro de metal que une os compartimentos e hidrata o café moído (custa de R$ 120 a R$ 480).

Hario V60

Esse coador inventado pelos japoneses se espalhou pelas boas cafeterias do País. Barato e fácil de usar, o porta-filtro de cerâmica (há versões em acrílico) tem sulcos espiralados e uma abertura larga em sua base que favorecem a extração correta do café. Em dois tamanhos e três cores, há um filtro de papel em formato cônico adequado para ele. A marca japonesa também fabrica moedor e balança para uso doméstico, e que valem a pena ser adquiridos (a partir de R$ 140).

Aeropress

Sua aparência lembra uma seringa gigante, é simples de usar e fácil de lavar. O café moído, misturado à água fervida, é pressionado por um êmbolo e extraído através de um filtro de papel colocado na base do equipamento. Essa combinação de pressão e filtragem rápida origina um café coado com boa extração de óleos essenciais, responsáveis pelos aromas e sabores. Fazer o café nela pode surpreender sua companhia (uma extração atende até duas pessoas). Custa R$ 230, em média.

French press

Também conhecida como cafeteira francesa, a french press é um método clássico de preparo do café. A jarra permite a infusão do pó em água fervida (separadamente), e o êmbolo de metal separa, após o tempo desejado, a borra do café que será servido. Como não há um filtro nem pressão, o tempo de infusão deve ser maior para extrair os sabores e aromas da bebida (que fica levemente turva na xícara). Elegante e ideal para servir várias pessoas ao mesmo tempo. O preço varia de acordo com a marca.

Pressca

A ideia da Pressca, criada em 2016 por um brasileiro, é fazer um café com rapidez e mobilidade. Ou seja, você prepara e degusta a bebida no próprio equipamento, que vem com sistema de isolamento térmico. O café moído é colocado no corpo da Pressca, e fica alguns minutos em infusão com água fervente. Depois, basta pressionar o êmbolo para obter 350 ml de café. Tem diversas cores e o maior número de peças desta seleção, o que requer atenção na montagem. Custa cerca de R$ 120.