Coluna

Qual é o bolo que representa o Brasil?

O bolo baeta, tradcional no Nordeste, preparado pela chef Adriana Cook (Foto: Divulgação/Bolo Chic Ateliê)

por Paulo Machado

Se me perguntarem qual é o bolo mais representativo do Brasil, eu não saberei a resposta. Afinal, cada canto deste País tem uma receita, sem contar as que adotamos de outras culturas para as nossas comemorações. Mas tenho muitos bolos que fazem parte da minha história.

Um dos sabores mais tradicionais brasileiros, o bolo de fubá passou longe de minha infância. Só passei a gostar dele alguns anos atrás, quando minha avó entrou na moda de colocar cubos de goiabada na receita e me deu para provar – foi o suficiente para a receita entrar no meu repertório. Da época de criança, tenho na lembrança uma torta de morango que era feita pela tia Maria Adelaide, banqueteira famosa na minha cidade, que trabalhava no Hotel Campo Grande. Seus deliciosos quitutes reinavam em absoluto, de casamentos a festas infantis em Campo Grande (MS) que desejavam servir salgadinhos e doces de qualidade. Numa época em que a palavra artesanal não aparecia, a tia demorava horas fazendo camadas de pão de ló, creme de confeiteiro envolvido em morangos cortados e selecionados por tamanho. Tudo isso era revestido por um marshmallow irresistível – para qualquer criança ter vontade de passar o dedo indicador.

Em 2011, reacendi meu paladar pelas mesas de doces quando conheci Pernambuco e de lá pra cá não tirei esse estado do meu coração. Não que o Cerrado e o Pantanal não ofereçam quitandas e mesas fartas de bolo de arroz, mas santo de casa não faz milagre. Em Recife, me apaixonei por bolo de rolo, Souza Leão, pé de moleque, bolo de noiva e baeta. Para que não conhece este último, é aquele bolo embatumado, que se esqueceu de crescer. No festejo de São João deste ano, provei no aeroporto da Paraíba o bolo de barra, similar ao baeta, muito conhecido do sertão e de toda parte do Nordeste.

Curiosamente delicioso, é um dos meus preferidos quando feito com os ingredientes certos – deve-se usar manteiga pura no lugar de margarina, por exemplo. Para esta coluna, escolho deixar de presente a simples receita da primorosa iguaria, que é também conhecida pelo codinome de engorda marido.

No aniversário de 20 anos da revista Menu, quero desejar felicidades com sabor de doce favorito e um bolo bem gostoso para comemorar as vitórias de toda a equipe e chefs que já abrilhantaram estas célebres páginas e continuam nessa missão. O futuro de conquistas, a Deus pertence! Parabéns Menu.

ONDE COMER:

Bolo Chic Ateliê, por Adriana Cook
avenida Hílton Souto Maior, 6.701 – Porta do Sol
(83) 99957-3291 – João Pessoa – PB