Bebida

Por dentro da aguardente nacional

por Cristiana Couto

Estante
Duas publicações recém-lançadas dissecam o universo da cachaça. Cachaça – História, Gastronomia e Turismo editada pelo Senac São Paulo, foi escrito pelo especialista na área Jairo Martins da Silva. Engenheiro pelo ITA, com cursos no Brasil e no exterior sobre degustação e produção de aguardentes, Silva é consultor especial da Câmara Setorial da Cachaça, entre outras atividades, e já escreveu um livro sobre o assunto em 2006. Volumosa, a obra aborda desde a história e a sociologia do produto até os processo de elaboração da bebida, regiões produtoras, degustação e serviço. Na segunda parte do livro há um guia de 37 cachaçarias, com um raio X de cada produção. Extremamente técnico, parece mais indicado a alunos de gastronomia e mixologistas do que ao público em geral. Já Os Segredos da Cachaça (editora Alaúde) tem linguagem fluente e didática, aliada a aspectos mais voltados para quem quer ser introduzido ao produto e consumi-lo. Harmonização de aguardente com comida, receitas de drinques e dicas para ler o rótulo têm essa pegada mais instrutiva. Aspectos sucintos de elaboração, história e áreas de produção foi a decisão dos autores João Almeida, jornalista que tem o blog Brasil no copo, e Leandro Dias, um dos fundadores da Escola da Cachaça e proprietário da cachaçaria Middas. O melhor, porém, é adquirir ambas, para uma visão mais ampla do popular destilado brasileiro.

Cachaça – História, Gastronomia e Turismo – Jairo Martins da Silva – Senac São Paulo (322 págs.) – R$ 61
Os Segredos da Cachaça – Tudo o que Você Precisa Saber sobre a Bebida mais Popular do Brasil – João Almeida e Leandro Dias – Alaúde (160 págs.) – R$ 70

Na xícara – Do vinho para o café
A vinícola Guaspari acaba de colocar no mercado sua primeira colheita de café. Localizada no Espírito Santo do Pinhal, a vinícola abriu as portas em 2006 numa região do interior de São Paulo que já era tradicional na produção do grão. A opção pelo vinho deu-se pela qualidade do território e do clima, mas o conhecimento no setor cafeeiro nunca deixou a família – as terras altas da região também favorecem o cultivo de cafés de qualidade. Atualmente, a vinícola dedica dedica 30 hectares aos grãos da espécie arábica. O café Guaspari é um blend das variedades Mundo Novo, Catuaí Vermelho e Obatã, cultivados a 1.200 metros de altitude. O produto pode ser adquirido nas lojas da vinícola ou no site, e é vendido em pacotes de 250 g (em grãos, R$ 36) e 500 g (moído, R$ 42). Sugestão: escolha a primeira opção, e invista num moedor caseiro de café. O grão deve ser moído na hora do preparo, para preservar seus aromas e sabores.