Comidas

Em 2040 a maioria da carne consumida não virá de animais abatidos, diz relatório

Hambúrguer à base de plantas já é uma realidade (Foto: Reprodução/iStock)

da redação da Menu

A maioria da carne consumida em 2040 não virá de animais abatidos, aponta um relatório da consultoria global AT Kearney.  De acordo com o jornal britânico The Guardian,  O estudo relatório estima que 60% da proteína será cultivada em cubas ou substituída por produtos à base de vegetais que têm aparência e gosto de carne.

O estudo teve como base entrevistas com especialistas, destaca os fortes impactos ambientais da produção de carne convencional e as preocupações que as pessoas têm sobre o bem-estar dos animais sob a agricultura industrial. “A indústria pecuária em larga escala é vista por muitos como um mal desnecessário”, diz o relatório.

A indústria de carne convencional gera mais de US $ 1 trilhão por ano. No entanto, os enormes impactos ambientais foram evidenciados em estudos científicos recentes, desde as emissões que impulsionam a crise climática até os habitats silvestres destruídos para a agricultura e a poluição dos rios e oceanos.

Em contrapartida, empresas como Beyond Meat, Impossible Foods e Just Foods que usam ingredientes vegetais para criar hambúrgueres, ovos mexidos e outros produtos estão crescendo rapidamente. A Beyond Meat levantou US $ 240 milhões quando a empresa iniciou as atividades em maio e desde então suas ações não param de subir.

Outras empresas estão trabalhando no cultivo de células de carne em cultura, para produzir carne de verdade sem a necessidade de criar e matar animais. Nenhum desses produtos atingiu ainda os consumidores, mas a AT Kearney prevê que a carne cultivada domine a longo prazo o mercado, porque reproduz o sabor e a sensação da carne convencional mais de perto do que as alternativas à base de plantas.