Bebida

Guia de cervejarias e produtoras de sidra na Flórida

3 Daughters (Foto: Roberto Fonseca)

Por Roberto Fonseca*

Confira o guia de cervejarias e produtoras de sidra, parte do especial da Flórida da Menu.

Em Tampa

Angry Chair (Foto: Roberto Fonseca)

Angry Chair

“Você provavelmente está aqui pelas Stouts, é por elas que somos mais conhecidos”, diz o site da cervejaria aberta em 2014, sem rodeios. Nas 16 torneiras, porém, há boas IPAs, como a The Rake; e, principalmente, a Incommunicado, uma Farmhouse Ale de apenas 3,4%, que tem uma versão com limão negro, ingrediente que aparece de modo destacado e confere bastante refrescância à cerveja. As Imperial Stouts “de sobremesa” estão lá, como a Special Socks (receita colaborativa com a Cigar City), de 12,3%, que leva baunilha, avelã e café. As garrafas mais disputadas pelos beer geeks podem ser compradas para consumo no local, e chegam a custar 60 dólares. O nome da cervejaria faz referência aos momentos de pressão ou insatisfação da vida, que podem levar a grandes mudanças. O espaço da cervejaria é pequeno, mas com uma decoração um tanto sombria, mas bastante interessante.

Cigar City (Foto: Roberto Fonseca)

Cigar City

Uma das precursoras da cena cervejeira em Tampa, surgiu em 2009. Seu nome faz referência ao passado da cidade como polo de produção de charutos. Entre seus rótulos mais emblemáticos, estão a IPA Jai Alai (que vez ou outra é importada ao Brasil) e a Hunaphpu’s, Imperial Stout com canela, baunilha, cacau e pimentas, inspirada no mole mexicano. A Maduro Brown Ale, primeiro rótulo da marca, tem boas notas de malte tostado e caramelo. Seu lançamento anual tem um evento próprio e concorrido no mês de março. A fábrica tem dois espaços que servem chopes, sendo que o segundo, mais ao fundo, tem cervejas mais potentes e algumas raridades. A Sour a ser provada é a Margarita Gose.

Cigar City Cider (Foto: Divulgação)

Cigar City Cider & Mead

Confira antes os horários de funcionamento e não faça como este que escreve, que só graças ao cervejeiro Jared Gilbert conseguiu entrar e provar as sidras desse projeto criado em 2014 pela Cigar City. O carro chefe é a Homemade Apple Pie, sidra com canela, baunilha e noz-moscada, que pende mais para o adocicado. Também chamou a atenção a Rose, com morango, hibisco e melancia, mais equilibrada entre dulçor e acidez. O local ainda conta com oferta de hidromel (bebida resultante da fermentação de mel) de produção própria e de convidados, além de torneiras de chope de cervejarias da região ou da própria Cigar City. Fica a alguns passos de distância da TBBC e da linha de bonde histórico TECO, um modo bacana de iniciar ou encerrar a visita.

Coppertail (Foto: Roberto Fonseca)

Coppertail

Cervejaria aberta em 2014 no distrito de Ybor, em Tampa, é um dos locais para se provar as Florida Weisse – havia três engatadas no dia da visita. A melhor delas era a Bomp!, que leva laranjas sanguíneas, manga e maracujá e tem acidez moderada. Entre as curiosidades sazonais servidas, há a Captain Jack’s Stone Crab Stout, que, como sugere o nome, leva caranguejos da região na receita. Mas não se assuste: entre as notas torradas e de café da Stout, não percebi nada que lembrasse caranguejo. O ambiente do taproom é espaçoso, com vista da fábrica, uma cozinha interessante – algo não muito frequente nas cervejarias – e até mesmo um confessionário. As artes dos rótulos e das camisetas estão entre as mais bacanas do roteiro que percorri.

Garagiste (Foto: Reprodução/Instagram)

Garagiste

A produção de hidromel, aberta em 2017 após dois anos de testes caseiros, é hoje uma das queridinhas entre beer geeks mundo afora. O taproom – que só abre de sexta a domingo – tem doze torneiras, que incluem receitas maturadas em barris de uísque, Bourbon e brandy, e ingredientes como cerejas e maple.

Hidden Springs (Foto: Roberto Fonseca)

Hidden Springs Ale Works

Fundada em 2015, a cervejaria tem como pontos altos as Sours e as IPAs, ambas em muitos casos levando frutas e lactose na receita. No primeiro caso, destacaram-se a Drone Thugs ‘n’ Harmony, Berliner Weisse com maracujá e hibisco que aparecem com destaque junto a uma acidez média; e a Poquito Papaya, com papaia, manga, coco e lactose, com coco e manga em primeiro plano e a papaia mais sutil. Na segunda categoria, a Drama Llama é uma Milkshake IPA com pêssego, lactose e baunilha, com equilíbrio entre ingredientes no aroma e sabor, mas uma nota de lúpulo cuja intensidade ainda “queimava” a garganta. Embora tenha um amargor demasiado persistente, a Li’l Sebastian, cruzamento de Sour com IPA que leva abacaxi na receita, vale a prova, pela lembrança do icônico pônei do seriado Parks&Recreation.

Tampa Bay Brewing Company (Foto: Roberto Fonseca)

Tampa Bay Brewing Company

Criada em 1995, ajudou a abrir os caminhos da cerveja na Flórida. Tem dois locais em Tampa, em Ybor e Westchase. A primeira tem 21 torneiras. Em geral, os rótulos lembram mais uma produção “old school”, como a clássica Old Elephant Foot IPA (cujo amargor é bem mais persistente do que as IPAs mais modernas). Há, contudo, curiosidades, como a Brazilian Raisin, uma Old Ale com uva passa e espirais de amburana, em que a madeira aparece potente, com açúcar queimado em segundo plano. A Sour a ser provada por aqui é a Last Days of Summer, com manga e pêssego – ambas as frutas também aparecem de forma bem destacada. O taproom de Ybor conta com uma boa cozinha, que vai além do hambúrguer e das frituras.

Ulele Spring (Foto: Roberto Fonseca)

Ulele Spring

A alguns passos da Hidden Springs fica cervejaria anexa ao restaurante Ulele, que trabalha com pratos regionais e tradicionais de Tampa. A cervejaria tem seu principal foco em estilos clássicos de Lagers e Ales, mas dispõe também de algumas versões maturadas em barril de madeira.

Em St.Petersburg e região

3 Daughters (Foto: Roberto Fonseca)

3 Daughters

A ideia da cervejaria – que também exporta para o Brasil – surgiu em 2014, quando os fundadores Mike Harting e Ty Weaver, trabalhavam em um restaurante e tentavam achar a cerveja ideal para usar na receita de um peixe empanado; decidiram produzir as próprias para os testes. Os passos seguintes foram comprar um equipamento maior e planejar a fábrica: nesse momento de mudança de carreira, surgiu a dúvida que originou o nome da marca: “Quantas cervejas serão necessárias para fazer três filhas se formarem na faculdade?” A fábrica, em St. Petersburg, é ampla e tem até palco para eventos, como aulas de ioga e bingo. À vista do público, o laboratório da cervejaria tem placas explicativas sobre cada equipamento, detalhe raro de se encontrar em outros locais. Tente encontrar na fábrica Mrs. Katzki, a gatinha que é mascote da marca. Sobre as cervejas, destaca-se a Barrel Aged Whisky Porter, que, como sugere o nome, foi maturada em barril de uísque e tem notas destacadas de coco, uísque, chocolate e caramelo. Há, ainda, a Strawberry Berliner, uma agradável cerveja ácida com morango.

7venth Sun (Foto: Roberto Fonseca)

7venth Sun

Instalada inicialmente em Dunedin, em 2012, a cervejaria abriu uma outra fábrica em Tampa em 2017. Mais conhecida por produzir cervejas ácidas com frutas, chamou a atenção com a “When Life Gives You Lemons”, uma Gose com framboesa e limão, onde ambos os ingredientes são bem perceptíveis, de forma equilibrada com a acidez. A Elder’s Wisdom, com baga de sabugueiro e manjericão, tem notas destacadas de frutas vermelhas. Peça um flight (conjunto de pequenos copos de cerveja, para quem quer degustar várias sem beber muito) e tente admirar o suporte em que elas são colocadas sem derrubar tudo durante o consumo; não é uma tarefa simples! Há, também, receitas de Florida Weisse produzidas pela marca, como a “Do You even Sudachi Bro?”, que leva sudachi, fruta cítrica japonesa, na composição.

Cycle Brewing (Foto: Roberto Fonseca)

Cycle Brewing

Uma das cervejarias mais incensadas pelos beer geeks mundo afora, se especializou em cervejas escuras, alcoólicas e adocicadas com adjuntos como café, baunilha, canela etc. Um de seus espaços, um brewpub localizado em uma galeria no centro de St. Petersburg, divide espaço com um café e uma loja de chocolates. O nome vem da paixão do dono, Doug Dozark, por bicicletas; é possível estacionar a sua dentro do taproom. Apesar da preferência dos cervejeiros e consumidores pelas parrudas, foi uma Session IPA de 4,7%, a Fixie, que me chamou a atenção inicialmente, com notas de maracujá intensas, amargor médio e final seco. Entre as mais fortes, destacou-se a Rare DOS 1 Year (foto), que ficou um ano em barris de uísque. Ela tem notas de uísque, chocolate, café, baunilha, dulçor e álcool médios a altos. Dica: se quiser “gabaritar” a lousa de chopes, reserve mais de uma visita.

Green Bench (Foto: Roberto Fonseca)

Green Bench

Surgida em 2013, a cervejaria empresta seu nome do fato de St. Petersburg ter sido conhecida, no início do século 20, como “a cidade dos bancos verdes”, já que havia mais de 3 mil deles em suas calçadas; nos anos 70, quase todos haviam sido retirados. A cervejaria se divide em duas construções, separadas por um biergarten. À esquerda de quem olha da rua, está a fábrica original, onde predominam as IPAs – entre elas a excelente Test 1262, feita com lúpulos frescos, que tem notas destacadas de limão e maracujá e amargor milimetricamente equilibrado, e a Jarrahdale, uma Saison com notas rústicas, frutadas (damasco) e vínicas. À direita, fica o recém-inaugurado Webb’s City Cellar, espaço mais escuro e fresco destinado à produção e maturação de cervejas selvagens, sidra e hidromel. Diante de sofás e poltronas de couro, empilham-se dezenas de barris de madeira que abrigaram diversas bebidas anteriormente. Nesta ala, destaca-se a Half Measures, cerveja ácida com pêssegos, que tem notas ácidas intensas, final seco e a fruta aparecendo de forma mais sutil no aftertaste.

Mad Beach (Foto: Roberto Fonseca)

Mad Beach

Fundada em 2015, a cervejaria tem seu nome derivado da praia em que está localizada, a Madeira Beach. Instalada no primeiro andar de uma galeria comercial, tem quase 28 torneiras, divididas em cervejas, sidras e sangrias. Os destaques ficam por conta da Papa’s Pils, uma German Pilsner com final seco e notas herbais de lúpulo; a Madeira Vice, uma American IPA cítrica e com amargor limpo; e a Imperial Peanut Butter Cup Stout, que leva manteiga de amendoim, ingrediente que aparece com destaque no aroma e sabor. No dia da visita, havia uma Imperial Brown Ale com baunilha, coco tostado e… bolachas Oreo! Além de uma área de jogos de mesa, a cervejaria possui um dos carregadores de copos mais bacanas da região, em formato de espada.

Sea Dog (Foto: Roberto Fonseca)

Sea Dog

Originária do Maine e importada para o Brasil (seu mascote é um simpático cachorro de chapéu amarelo), esta cervejaria tem duas plantas na região de St. Petersburg: uma fábrica de maior porte em Clearwater, aberta em 2014, e um brewpub recém-aberto em Treasure Island. Prefira o segundo, com um visual mais interessante e receitas criadas ali mesmo – o objetivo do brewpub é testar as cervejas, e as mais bem sucedidas podem entrar em linha posteriormente. A mais surpreendente da visita foi a Event Horizon Coffee Porter, com notas de chocolate meio amargo, café e avelã. O local dispõe de uma cozinha variada que vai além dos hambúrgueres.

*O jornalista viajou a convite de Visit Florida