Bebida

Hot Spot: Cafés da música clássica

Por Daniela Filomeno

Viena respira música: os mais importantes compositores, de Mozart a Strauss, tiveram ligação com a cidade. E os cafés, que eram pontos de encontro desses artistas, se tornaram grandes atrações locais. Três paradas obrigatórias: comece o dia no Cafe Central (cafecentral.wien), dentro do monumental Palais Ferstel, com o kaiserliches frühstück (€ 21,90), um verdadeiro café da manhã que vai de pães, ovos a iogurte e ainda acompanha uma taça de vinho frisante da região. Depois almoce no Cafe Landtman (cafecentral.wien), considerado Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco, com cadeiras originais do estilo thonet, da era imperial, e espelhos da década de 1920 – são famosos os típicos schnitzel (€ 19,5), goulash (€ 16,5) e frango frito (€ 16). E termine a refeição com uma crocante apfelstrudel (€ 4,5) do café do Kunsthistorisches Museum Wien (khm.at/en/explore/offers/cafe-restaurant), museu de Belas Artes de Viena (foto), e aproveite um dos monumentos mais especiais da cidade.

Alta gastronomia no parque


Considerada uma das mais verdes cidades da Europa, Viena possi 800 parques e em um deles, o moderníssmo Stadtpark, há o melhor restaurante da cidade: Steirereck (steirereck.at), com duas estrelas Michelin e o 14° melhor do mundo pela lista do 50 Best Restaurants. Ingredientes orgânicos e a mínima interferência nos alimentos – a maioria vem de uma fazenda própria do chef Heinz Reitbauer – fazem parte do conceito do restaurante, em ambiente totalmente integrado ao parque. O menu degustação custa € 149 (seis pratos) e harmonização a € 88. No almoço, há uma versão reduzida por € 98 (quatro pratos) e à la carte.

Conheça o vinho local

Nas duas últimas décadas, os rótulos da Áustria conquistaram a atenção dos amantes de vinho e começaram a se tornar conhecidos no Brasil – principalmente pelos rieslings, de uva cultivada às margens do Danúbio, e pelos vinhos de sobremesa, que estão entre os melhores do mundo.


A região vinícola de Wachau Valley, a cerca de 80 km de Viena, guarda uma joia: a vinícola Nikolaihof (nikolaihof.at), pioneira na produção de biodinâmicos no local e uma das mais tradicionais do país, com mais de 2 mil anos de existência. Desde 1971, seus vinhos são feitos sem pesticida ou agrotóxicos e seu vinho Nikolaihof Vinothek Riesling da safra de 1995 foi o único austríaco a alcançar 100 pontos na lista d e Robert Parker, o 1995 – prova que é possível produzir excelentes rótulos orgânicos.