Acontece

Niño Gordo

Tataki: bife de chorizo selado na parrilla, fatiado, servido sobre arroz oriental, com gema de ovo curada e emulsão de wasabi (Foto: Divulgação)

por Esther Morel

Sensação das contas de Instagram dos portenhos, o Niño Gordo é um espétaculo desde a entrada até a sobremesa.

Tudo começou com uma imersão do colombiano Pedro Peña no sudeste asiático. O chef passou cerca de um mês estudando as culinárias vietnamita, chinesa e japonesa e voltou à Argentina com vontade de abrir um restaurante no estilo asian fusion, no qual adapta elementos orientais à comida tradicional argentina. Nasceu o Niño Gordo.

O ambiente já é chamativo por si só: o teto é coalhado de lanternas chinesas de papel, a iluminação é vermelha, a decoração remete a elementos da arquitetura asiática e o balcão é uma ode aos principais personagens da cultura pop do oriente, com miniaturas e bonecos saídos de videogames, animes e filmes.

Katsu Sando (Foto: Divulgação)

E é atrás desse balcão, na cozinha aberta, que Peña executa a mágica do Niño Gordo. Um dos pratos mais populares é o Katsu Sando (R$ 50), feito com milanesa de bife de chorizo, temperado com redução de cebola, alho e gengibre, e servido no pão de brioche, acompanhado de maionese.

O Tataki (R$ 32) também é um sucesso, tanto pelo sabor quanto pela alta taxa de “instagramabilidade” – você com certeza vai querer tirar uma foto do seu prato. Trata-se de um bife de chorizo selado na parrilla, que é fatiada na frente do comensal, destacando o miolo ainda cru, servido sobre arroz oriental, finalizado com uma gema de ovo curada e emulsão de wasabi.

Ao centro: mollejas com acelga, milho e chili (Foto: Divulgação)

As invenções são as mais variadas possíveis com lagostins e pancetta glaceada, ojo de bife com tempero oriental e ainda as mollejas – timo do boi, corte tradicional na Argentina -, preparadas com acelga, milho e chili.

Mas se engana quem pensa que é só na cozinha quente e salgada que Pedro Peña mostra suas habilidades. As sobremesas também são indispensáveis. O flan de missô (R$ 18) é inusitado, mas a estrela é o duo de chocolates (R$ 20): uma colherada de musse de chocolate amargo com wasabi e togarashi (tempero japonês apimentado), ao lado de uma colherada de musse de chocolate branco com katsuobushi (conserva seca de atum).

Entrada do Niño Gordo, em Buenos Aires (Foto: Esther Morel)

Vale ainda pedir a carta de tragos e experimentar um Niño Gordo y Borracho (R$ 22), feito com uísque, Campari, vermute tinto, Amarena e twist de laranja, ou ainda uma cerveja japonesa Asahi (R$ 22).

Calle Thames, 1.810. Palermo.

@xniniogordox