Noticias

Dieta mediterrânea promove ‘envelhecimento saudável’

Azeite, legumes e vegetais fazem parte da dieta mediterrânea (Foto: iStock)

da redação da Menu

Desde que foi criada por um médico nos anos 1980, a dieta mediterrânea tem sido amplamente pesquisada para explicar seus benefícios à saúde, como redução de doenças cardiovasculares e menor índice de câncer entre seus adeptos.

E um estudo feito por pesquisadores de cinco países encontrou mais uma explicação. Segundo a análise, quem segue a dieta mediterrânea por vários anos desenvolve um tipo de bactéria no trato intestinal relacionada ao “envelhecimento saudável”.

+Carnes e embutidos aumentam risco de morte, diz novo estudo
+Vinho e chocolate estão liberados em nova dieta dos famosos
+Conheça Os 7 alimentos de férias que são o terror das dietas!

Essas bactérias têm propriedades anti-inflamatórias e é capaz de reduzir as dores em pessoas mais velhas. Outro ponto importante do estudo: mesmo quem nunca seguiu essa dieta consegue obter benefícios ao mudar a alimentação.

Segundo os pesquisadores, as pessoas que passaram a seguir a dieta mediterrânea desenvolveram as bactérias anti-inflamatórias após 12 meses.

A dieta mediterrânea tem entre seus pilares ingredientes como azeite extravirgem, legumes, vegetais, cereais integrais, frutas, peixes e frutos do mar, além de leite e derivados e vinho, que devem ser consumidos com moderação.