Bebida

Justiça decide que logo da Jägermeister não ofende cristãos

Para a Justiça, apesar da clara inspiração cristã, as pessoas relacionam o logotipo com a bebida (Foto: iStock)

da redação da Menu

Criado em 1935 na Alemanha, o destilado Jägermeister leva 56 raízes, ervas e temperos para conseguir o seu sabor característico. Seu criador, Curt Mast, era um entusiasta da caça e por isso batizou à bebida de Jägermeister, que em alemão significa “mestre dos caçadores”.

Essa relação com a caça está presente no logotipo da bebida e se refere à lenda de São Hubertus. Durante uma caçada, Hubertus se deparou com um cervo com uma cruz brilhante entre seus chifres.

+Jägermeister lança nova versão com grãos de café e cacau
+Bar em Casa: aprenda a fazer os clássicos do Caulí Bar
+Bar em Casa: faça drinques e petiscos do Raiz Bar
+Descubra quais os itens essenciais para montar o bar em casa

O encontro transformou o caçador, que passou a se preocupar mais com a natureza e acabou se tornando o padroeiro dos caçadores. Mast ficou tão impressionado com a história que decidiu colocar o cervo com a cruz no rótulo de sua bebida

Pois 85 anos depois, o Instituto Federal de Propriedade Intelectual da Suíça implicou com a marca, alegando que ela poderia ser ofensiva aos cristãos. A entidade também entrou com uma ação em que pedia para que o desenho com o cervo e a cruz fosse removido do rótulo, camisetas e outros produtos da Jägermeister, argumentando que a imagem poderia “irritar a fé das pessoas religiosas” na Suíça.

A Justiça suíça, no entanto, discordaram dos argumentos apresentados. Segundo a decisão, apesar da clara inspiração cristã, a maioria das pessoas, hoje, relaciona o logotipo com a bebida. Além disso, a Jägermeister se distanciou de qualquer caráter religioso, o que a torna menos ofensiva para os cristãos.