Noticias

Coronavírus: dark kitchens têm aumento de 50% nos pedidos

Foto: iStock

por Pedro Marques, da Menu

Como diz o ditado, enquanto alguns choram, outros vendem lenços. Se por um lado o isolamento das pessoas por causa do coronavírus tira pessoas das ruas e reduz o movimento de bares e restaurantes, as dark kitchens – cozinhas feitas especialmente para atender os clientes dos aplicativos de entrega de comida – já vêm os pedidos aumentarem em até 50%.

É o caso da Cloud Foods, criada em 2019, que tem seis marcas de entrega de comida: Yakisoba Panda, Puka Poke, Temaki Kaze, Marmitaria da Fazenda, Esfiharia Agadir e Açaí da Aracy. “Entre a quinta-feira passada e segunda-feira (ontem), tivemos uma demanda mais forte”, afirma Raphael Bonzanini, fundador da empresa.

+Delivery é aposta para conter prejuízos do coronavírus
+Associação Brasileira de Restaurantes pede calma à população
+Movimento em restaurantes de SP cai até 50% por coronavírus

Segundo Bonzanini, nesse período os pedidos aumentaram em 50% e a expectativa é que eles continuem crescendo. “A gente já vinha se preparando, selecionando mão-de-obra e negociando com os fornecedores, que não estávamos prevendo tão cedo”, afirma o empresário. Para as próximas semanas, Bonzanini espera que os pedidos aumentem ainda mais, porém prefere não fazer previsões.

Segundo ele, agora existem duas preocupações: manter as cozinhas abastecidas com alimentos e a saúde dos funcionários. “Estamos aumentando nosso estoque e buscando o contato direto com os produtores, especialmente os de legumes e verduras, caso tenhamos problemas de fornecimento”, afirma

Em relação aos trabalhadores, Bonzanini explica que todos receberam informações sobre como agir no caminho para casa, para não serem contaminados. “Adotamos várias medidas internas e orientamos nossos profissionais e os entregadores para evitar a contaminação. Qualquer sintoma tem que ser comunicado imediatamente. Felizmente, ainda não tivemos problemas.”

Para o empresário, o delivery de comidas terá um papel importante durante esse período. “Estamos nos preparando para atender aos pedidos e vendo nosso trabalho como uma responsabilidade social para adiar a transmissão do coronavírus”, diz.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana