Noticias

Funcionários de restaurante dos EUA se recusam a cozinhar para policiais

Foto: Condado Tacos

da redação da Menu

As manifestações nos Estados Unidos pedindo justiça para George Floyd, ex-segurança negro assassinado pelo policial Derek Chauvin, da cidade de Minneapolis, no Estado de Minnesota, continuam por várias outras cidades do país e seus efeitos estão chegando aos restaurantes. Chauvin asfixiou Floyd por mais de oito minutos antes que ele morresse.

Na cidade de Columbus, capital do Estado de Ohio, funcionários de uma das lojas da rede de fast-food Condado Tacos se recusaram a preparar um pedido com mais de 500 tacos para os policiais rodoviários estaduais. Segundo um dos funcionários, o gerente exigiu que os funcionários preparassem a grande encomenda, mas eles se negaram e foram demitidos.

+Com restaurantes fechados, ratos ficam mais agressivos nos EUA
+Jogador da NBA deixa R$ 5.400 de gorjeta em restaurante
+Supermercados dos EUA trocam saladas por bebidas alcoólicas

Nesta segunda-feira, um porta-voz da Condado Tacos disse que as demissões foram revertidas. “Depois de uma discussão com o gerente, os funcionários se recusaram a completar seus turnos de trabalho, mas seus empregos estarão lá, caso desejem retornar”, disse o porta-voz à rede de notícias local WTTE.

Nesta terça-feira, todas as unidades da rede devem ficar fechadas “em respeito à comunicação com nossos trabalhadores e com o público” sobre esta questão. Clientes não perdoaram a rede em comentários na rede social Yelp, dedicada à resenha de restaurantes e outros estabelecimentos. “Vidas negras importam. Tratem seus funcionários corretamente”, escreveu um usuário que deu apenas uma estrela para a comida da Condado Tacos.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana