Noticias

44% dos clientes devem evitar restaurantes no pós-pandemia

Foto: iStock

da redação da Menu

Boa parte dos consumidores não está interessada em frequentar bares, restaurantes, cafés e outros estabelecimentos de alimentação fora do lar após o fim da pandemia de coronavírus, revela uma pesquisa realizada pela agência de marketing 4Life com 1.200 consumidores neste mês de junho.

Para 17% dos entrevistados, a chance de voltar a comer e beber fora de casa é praticamente zero, enquanto outros 27% afirmaram ser “muito pouco provável’ que voltem a frequentar esses estabelecimentos. Por outro lado, 35% disseram que iriam com certeza ou muito provavelmente a bares e restaurantes.

+30% dos restaurantes podem fechar em definitivo, diz Abrasel
+Churrascaria de Porto Alegre vira restaurante 100% vegano
+Aéreas param de servir bebidas alcoólicas temporariamente

“Os restaurantes terão que elaborar estratégias de comunicação eficazes para que o cliente mude de opinião. O esforço de mudança de estado de espírito estará diretamente ligado à segurança dos clientes”, afirma Igor Kalassa, sócio da 4Life Marketing, e um dos autores do estudo.

Segundo Kalassa, a maior preocupação dos consumidores no momento é com a higiene: 78% dos consultados querem saber todas as medidas de prevenção (ao coronavírus) adotadas pelo estabelecimento, incluindo os protocolos de atendimento e limpeza. “Não basta falar que faz, vai ter que demonstrar quais as medidas adotadas”, diz o sócio da agência.

Os bares e restaurantes que têm a possibilidade de colocar mesas nas calçadas têm uma vantagem: 53% dos consumidores afirmaram estar dispostos a frequentar estabelecimentos com mesas ao ar livre. “Parcerias com as prefeituras poderiam ajudar a aumentar a área de atendimento e viabilizar as mesas ao ar livre”, acrescenta Kalassa.

As áreas abertas não diminuem a importância do distanciamento social em espaços fechados, pelo contrário: 87% dos entrevistados afirma que a distância entre as mesas é “extremamente importante” ou “muito importante”. “Os clientes querem se sentir seguros. Amparos, biombos e qualquer meio que mantenha espaços mais privativos serão bem avaliados”, diz o autor da pesquisa.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana