Noticias

Após ser acusada de racismo, Dogma retira cerveja de circulação

Foto: Reprodução

da redação da Menu

A cervejaria paulistana Dogma retirou de circulação nesta sexta-feira (26) um de seus produtos mais famosos, a Cafuza, gelada do estilo Imperial India Black Ale criada em 2012, após ser acusada de racismo por uma artista no Twitter. O rótulo trazia a reprodução de uma fotografia de uma escrava.

A foto foi feita em 1869 pelo imigrante alemão Alberto Henschel, um dos responsáveis por difundir a fotografia no Brasil. Além de fazer registros da escravidão no Brasil, Henschel fotografou cenas da família imperial brasileira.

+Cervejarias dos EUA lançam rótulo contra preconceito racial
+Taco Bell demite funcionário por apoio a movimento negro
+Post sobre ‘restaurante’ de garotinha viraliza no Instagram

Em comunicado, a cervejaria se desculpou pelo ocorrido e afirmou que vai evitar que problemas como esse voltem a acontecer. “Estamos elaborando estratégias para entender como podemos aprender e colaborar oferecendo espaço de voz sobre o tema”, escreveu a empresa em postagem no Instagram.

O uso de imagens de negros em produtos mundo afora está sendo bastante questionado após o assassinato nos EUA de George Floyd, ex-segurança negro que foi asfixiado por um policial branco, e as mortes dos meninos negros João Pedro e Miguel.

A PepsiCo, por exemplo, descontinuou o xarope para panquecas Aunt Jemima, que tem imagens supostamente racistas. A marca Uncle Ben, da Mars, também deve passar por mudanças para evitar a associação com escravos.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana