Noticias

Chef japonês se suicida após acusações de assédio sexual

Foto: Divulgação

da redação da Menu

Uma das novas estrelas da gastronomia francesa, o chef japonês Taku Sekine se suicidou após ser acusado de assédio sexual por um jornalista especializado. O anúncio da morte de Sekine foi feito por sua família no Twitter, que também disse que as acusações são mentirosas.

+Morre o lendário chef Pierre Troisgros, aos 92 anos, na França
+Rei do espaguete à amatriciana morre aos 87 anos na Itália
+Dona Dega, do restaurante Tordesilhas, morre aos 91 anos

“(Sekine) cometeu suicídio após uma grave depressão seguida de sua acusação pública comparável a uma verdadeira crueldade”, afirma o comunicado da família. O comunicado ainda destaca que o japonês nunca foi alvo de qualquer denúncia, informa reportagem da agência de notícias France Presse.

Sekine era um dos mais destacados discípulos do chef francês Alain Ducasse e estava à frente de dois restaurantes de Paris: o Dersou, eleito pelo guia Fooding como a “A melhor mesa de 2016”, e o Cheval d’Or, conhecido pela fusão das culinárias francesa e japonesa.

As acusações foram feitas por Franck Pinay-Rabaroust, fundador do site Atabula, que publicou uma reportagem chamada “Violência sexual na cozinha”. Após a morte de Sekine, Pinay-Rabaroust se defendeu e afirmou que as informações são verídicas.

“Fontes diferentes mencionaram o nome de Sekine várias vezes e relataram eventos muito semelhantes. Os fatos em questão se confirmavam cada vez mais”, escreveu Pinay-Rabaroust.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana