Noticias

Brasileira salva menino de abuso em restaurante nos EUA

Foto: Arquivo Pessoal

da redação da Menu

A brasileira Flaviane Carvalho, gerente do restaurante Mrs. Potato, em Orlando, no Estado da Flórida (EUA), está sendo considerada uma heroína pela polícia local, após socorrer um menino de 11 anos que sofria abusos domésticos.

+Funcionário de fast-food salva garoto de morrer enforcado
+Dono de restaurante impede sequestro de criança; veja como foi
+Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

Na quinta-feira (14), Flaviane participou de uma entrevista coletiva organizada pela polícia e disse que o menino foi ao Mrs. Potato no dia 1º de janeiro com a mãe, o padrasto, e a irmã mais nova.

Segundo a funcionária, ela percebeu um “grande arranhão” entre as sobrancelhas da criança e notou um “hematoma ao lado do olho”. Ela também percebeu que, enquanto a família comia, o prato do menino estava vazio.

“Também sou mãe e isso foi muito estranho, você não nega comida para uma criança”, disse a brasileira, de acordo com reportagem do portal “UOL”. Ela desconfiou que o garoto estava sendo abusado e foi até um ponto do restaurante em que ele podia vê-la, mas os pais dele não.

“Escrevi uma placa perguntando se ele estava bem. Ele acenou com a cabeça que não estava. Alguns minutos depois, escrevi outra placa perguntando se ele precisava de ajuda. Então ele fez ‘sim’ com a cabeça”, contou.

Flaviane chamou a polícia na mesma hora, que prendeu Timothy Wilson II, padrasto da criança, que negou as acusações de agressão. Kristen Swann, mãe do menino, só foi presa no dia 6, após admitir que sabia sobre o abuso e não impedia as agressões.

Ao investigar o caso, a polícia considerou que os abusos sofridos pelo menino podem ser classificados como tortura. “O garoto disse que tiras foram amarradas em torno de seus tornozelos e pescoço, e ele foi pendurado de cabeça para baixo em uma porta”, disse o delegado Orlando Rolón.

“Ele disse ainda que apanhou com uma vassoura de madeira e foi algemado e amarrado a uma grande carreta móvel e não comia regularmente, como punição”, acrescentou Rolón. Para as autoridades, se Flaviane não tivesse agido, o menino poderia ter morrido.

O padrasto do garoto pode ser condenado à prisão perpétua pelas leis da Flórida. Já a mãe da criança acusada de negligência infantil e podem ser condenada a 30 anos de prisão.

Depois que o caso foi revelado, muitas pessoas quiseram recompensar Flaviane pela boa ação e uma vaquinha online foi organizada. Até o momento, já foram arrecadados cerca de US$ 6.500 (cerca de R$ 34 mil) para a gerente do restaurante.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana