Noticias

Santos limita venda de bebidas alcoólicas até as 20h em bares e restaurantes

Foto: iStock

da redação da Menu

Bares de Santos deverão encerrar as atividades diárias até as 20h a partir desta terça-feira (19). Já os restaurantes poderão permanecer abertos até as 22h, com a venda de bebidas alcoólicas permitida até as 20h.

+Donos de bares e restaurantes de SP dizem que governo vai “exterminar o setor”
+5 mil bares e restaurantes podem falir com nova quarentena em BH
+Leia mais sobre o impacto da pandemia no setor de bares e restaurantes

Essas e outras medidas, que adequam Santos à fase amarela do Plano São Paulo, do governo estadual, foram anunciadas nesta segunda-feira (18) e constam em decreto publicado no Diário Oficial do município desta terça (19).

Para os bares, o período de funcionamento será das 10h às 20h. Para restaurantes e lanchonetes, das 11h às 15h e das 18h às 22h. Esses estabelecimentos devem, ainda, observar outros protocolos de segurança sanitária como o limite de 40% da capacidade do público, o uso de máscara pelos funcionários e a disponibilização de álcool em gel para os clientes.

Quiosques de lanche, salões de beleza, escolas de idioma, academias, corretoras de imóveis e concessionárias de veículos são outras das atividades que terão o tempo de atendimento reduzido. Já a venda de bebidas alcoólicas estará limitada até as 20h também em lojas de conveniência e shopping centers.

“Temos que estabelecer novas normas, acompanhando os números e a ciência. E precisamos, também, observar o comportamento da população. O que vemos pelo mundo é uma segunda onda da pandemia e países decretando lockdown”, explicou o prefeito Rogério Santos, por meio de comunicado..

“Um agravamento da pandemia vai prejudicar, primeiramente, a saúde de todos e, depois, a economia local”, alerta, ressaltando a prioridade do momento: “Todas as medidas necessárias para a preservação de vidas serão tomadas.”

Para garantir o cumprimento das normas, a prefeitura santista terá forças-tarefas, que incluem fiscais da Secretaria de Finanças (Sefin), agentes da Seção de Vigilância Sanitária (Sevisa) e o efetivo da Guarda Civil Municipal (GCM), que recebe denúncias pelo telefone 153.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana