Noticias

Coco Bambu demite 147 funcionários e ameaça deixar o Ceará

Foto: Tadeu Brunelli/Divulgação

A rede Coco Bambu decidiu retaliar o Governo do Estado do Ceará, que limitou o horário de funcionamento de bares e restaurantes, entre outros comércios, para tentar conter a pandemia do novo coronavírus.

+Campanha nas redes sociais pede boicote à rede Coco Bambu
+Embalagens de comida não transmitem covid, diz FDA
+SP libera consumo de bebidas alcóolicas até as 22h em restaurantes

Segundo reportagem do portal “Focus”, a rede demitiu 147 trabalhadores e ameaça encerrar as atividades no Estado por causa das restrições.

O fundador da rede, o empresário Afranio Barreira, defende o relaxamento do isolamento social e o uso da cloroquina para tratar a covid-19, doença causada pelo coronavírus.

“Após a promulgação do decreto, não nos restou outra alternativa senão reduzir nosso quadro local de 606 funcionários, com a demissão de 147 colaboradores que fazem parte da nossa grande família, alguns com anos e anos de casa, que, infelizmente, terão de ficar sem emprego e sem sustento e renda para si e seus familiares”, afirmou o restaurante em comunicado.

A empresa acrescentou que pode demitir mais funcionários, caso as restrições não sejam levantadas. “Este número de empregados brevemente poderá ser reduzido. O atual decreto limita, em muito, nossa capacidade de funcionamento.”

Na nota, a rede ainda ameaçou deixar o Estado. “Estamos, de fato, considerando a opção de encerrar de forma definitiva as operações do Coco Bambu no Ceará”, afirmou a empresa, que tem oito restaurantes em Fortaleza.

(*) Da redação da Menu

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana