Noticias

Rivais processam iFood por causa de contratos de exclusividade

Foto: iStock

Maior aplicativo de delivery de comida do Brasil, o iFood está sendo alvo de duas ações movidas contra a empresa pela concorrente Rappi e pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), que questionam no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) os contratos de exclusividade que o iFood mantêm com alguns restaurantes.

+Embalagens de comida não transmitem covid, diz FDA
+Outback passa a atender por delivery durante a madrugada em SP
+Restaurante pede para funcionários devolverem 10% do salário por causa da pandemia

Segundo reportagem do UOL, o Uber Eats comprou a briga, entregando uma manifestação com mais críticas ao iFood e a Associação Nacional de Restaurantes (ANR) e o Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (SindRio) também pretendem ingressar com ações, pelos mesmos motivos.

O maior problema, alegam as empresas, é o abuso de poder econômico por parte do iFood. A empresa firma contratos de exclusividade com um grande número de restaurantes, impedindo que outros aplicativos aumentem as opções para o consumidor.

Já os restaurantes reclamam de multas exageradas nos casos de rompimento de contratos e promessas não cumpridas pelo app de delivery.

O iFood se manifestou por meio de comunicado e disse que está “convicto de que o mercado é saudável e que as suas políticas comerciais são benéficas a todas as partes do setor de alimentação, sobretudo restaurantes e consumidores”. Não há previsão para que o processo seja julgado pelo Cade.

(*) Da redação da Menu

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana