Noticias

Decisão da Argentina pode deixar churrasco mais caro no Brasil

Decisão da Argentina pode deixar churrasco mais caro no Brasil
Decisão da Argentina pode deixar churrasco mais caro no Brasil / Foto: iStock

Para conter o aumento do preço da carne bovina no mercado interno, o governo da Argentina anunciou nesta semana a suspensão das vendas para o exterior do produto, que é essencial na culinária do país, por 30 dias.

+Churrasco de Bolsonaro teve picanha que custa R$ 1.799 o quilo
+Churrasco de Cinema: Equipamento defuma carnes até na varanda do apê
+Ao preço de US$ 1.600 por kg, carne Ozaki é a mais cara do mundo

A medida deve encarecer a carne aqui no Brasil, pois os produtores brasileiros devem reduzir a oferta do ingrediente no mercado nacional para aumentar suas vendas para outros países.

Em entrevista à agência Reuters, Lygia Pimentel, a diretora da consultoria Agrifatto, alertou que os brasileiros não deixarão de ser atendidos, mas este movimento também significa novas altas de preço por aqui, onde a escassez de gado já eleva os custos.

Entenda o caso

Segundo a OCDE, a Argentina é o principal consumidor de carne bovina per capita do mundo. O produto aumentou 65,3% nos últimos 12 meses, acima da inflação de 46,3% registrada no período, informou o Instituto de Promoção de Carne Bovina Argentina (Ipcva, na sigla em espanhol).

“Como consequência do aumento sustentado do preço da carne bovina no mercado interno, o governo decidiu adotar um conjunto de medidas para ordenar o funcionamento do setor, restringir práticas especulativas e evitar a sonegação fiscal”, afirmou o governo.

“Os aumentos dos preços são inexplicáveis. Não há nenhuma razão, além do aumento do consumo, para explicar os aumentos que aconteceram em março e abril”, disse o presidente argentino, Alberto Fernández, em entrevista ao canal C5N.

A decisão gerou uma crise com os produtores locais, que entraram em greve e decidiram interromper totalmente a comercialização de carne de boi por uma semana, segundo reportagem da AFP.

A Comissão de Enlace das Entidades Agropecuárias, que representa produtores e empresários do setor, atacou a medida. “Vamos exercer uma rejeição total a esta medida nefasta”, afirmou Daniel Peregrina, presidente da Sociedade Rural Argentina.

Segundo o Departamento de Agricultura dos EUA, o país é o quarto maior exportador mundial de carne bovina, com 819.000 toneladas produzidas em 2020, atrás apenas de Brasil, Austrália e Índia.

O presidente afirmou que “celebra” o fato de o país exportar carne, mas lamentou que isto provoque o aumento do preço para os cidadãos do país. As exportações agrícolas representam a maior fonte de divisas do país.

(*) Da redação da Menu

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana