Noticias

Presidente da Fundação Palmares chama Paola Carosella de “vitimista”

Foto: Carlos Reinis/Band

Nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro como presidente da Fundação Palmares, o jornalista Sérgio Camargo, atacou a chef Paola Carosella no Twitter e chamou a ex-jurada do reality show “MasterChef Brasil” de “militante vitimista”.

+Chef fecha delivery por causa de aglomeração de Bolsonaro no RJ
+Rita Lobo rebate Bolsonaro e dá receita para “idiotas que ficam em casa”
+Churrasco de Bolsonaro teve picanha que custa R$ 1.799 o quilo

A polêmica aconteceu depois que Paola fez um comentário na rede social ironizando o vídeo em que Juliana Paes fala sobre “delírios comunistas”.

“Meus delírios comunistas: fim do genocídio negro indígena e favelado, pela bala ou pela miséria. Comida, esgoto e água para todos. Vacina já. Creches, escolas e universidades para todos. Reforma agrária. Um governo que trabalhe para o povo e não contra ele. Só o começo”, escreveu a chef no Twitter.

Em resposta, Camargo atacou Carosella. “Falou em ‘genocídio negro’ já sei que é militante vitimista ou branquelo politicamente correto. Ambos imbecilizados por narrativas da esquerda”, escreveu Camargo, que já afirmou abertamente ser contra as pautas raciais.

Além disso, Camargo nega categoricamente a existência do racismo no Brasil. Por causa disso, a Organização das Nações Unidos o considera inapto para ocupar o cargo de presidente da Fundação Palmares, que tem entre suas missões desenevolver políticas afirmativas para enfrentar o racismo estrutural no País.

(*) Da redação da Menu

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Garçonete demitida por ciúmes agora fatura com fotos sensuais
+ Chef Henrique Fogaça fecha restaurante no RJ e demite 200 funcionários
+ Torta de sorvete é sobremesa para fazer no fim de semana